Explore o universo e colabore com aliens em No Way Home, nova aventura espacial do Apple Arcade

Hoje é sexta-feira, dia de que? Sim, de explorar o que o Apple Arcade tem de novo — e hoje, no caso, temos a adição do jogo No Way Home, do SMG Studio.

Trata-se de uma aventura espacial com visuais incríveis, um tanto quanto cartunescos, onde você se vê preso numa galáxia estranha. A partir daí, é necessário explorar o universo, fazer amizade com aliens esquisitos e lutar contra monstros para encontrar o seu caminho para casa.

Sua missão, caso deseje aceitá-la, é encontrar um caminho para casa através de uma galáxia estranha cheia de aliados alienígenas e monstros perigosos.

O jogo tem uma variedade infinita de aventuras: seus mundos são gerados processualmente por algoritmos, de forma que os obstáculos e desafios nunca são iguais para dois jogadores diferentes. Além disso, temos aqui mais de 50 armas que podem ser descobertas e personalizadas, bem como mais de 60 inimigos para lutar. Todos os dias, o jogo terá também um desafio diário que, se completado, dará ao jogador uma “mega-arma” de prêmio.

No Way Home é compatível com iPhones, iPads, iPods touch e Apple TVs; ele pode ser jogado com toques na tela, com o Siri Remote ou com controles MFi compatíveis. O jogo já está disponível no Apple Arcade — que, como vocês provavelmente sabem, custa R$10 mensais e tem um mês grátis de testes, para quem se interessar. Aproveitem!

Falha grave do Firefox é corrigida um dia após o lançamento da versão 72

Apenas um dia após lançar o Firefox 72, a Mozilla atualizou o seu navegador com uma correção para uma vulnerabilidade grave — como divulgado até mesmo pelo Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (CISA) no seu site oficial.

Após identificar a falha, a Mozilla lançou o Firefox 72.0.1, o qual inclui um patch para a vulnerabilidade identificada como CVE-2019-17026. De acordo com a desenvolvedora, o problema era causado por um bug na compilação SpiderMonkey, o mecanismo JavaScript do navegador; eles explicaram, ainda, que os agentes maliciosos poderiam explorar a falha para invadir (e controlar) um sistema — a versão para iOS não é acometida pelo mesmo erro.

A Mozilla classificou a vulnerabilidade como “crítica”, a mais séria em seu sistema de alertas. A empresa creditou a desenvolvedora Qihoo 360 pela descoberta do bug — a mesma responsável pela criação do 360 Secure Browser, que conta com os mecanismos de renderização e JavaScript do Google Chrome e do Microsoft Edge.

Para atualizar manualmente o navegador, os usuários podem selecionar Firefox » Sobre o Firefox (no macOS) ou Ajuda » Sobre o Firefox (no Windows). A janela que será aberta mostrará se o navegador está atualizado ou se é necessário realizar o processo.

Firefox 72

Como dissemos, a Mozilla lançou recentemente o Firefox 72 com diversas melhorias, entre elas a de proteção contra rastreamento (Enhanced Tracking Protection, ou ETP) — a qual reduz os riscos de fingerprinting, um método usado pelos sites para coletar informações sobre o tipo e a versão do navegador, bem como o sistema operacional, plugins, idioma e outras configurações ativas.

Antes da atualização, esse bloqueio só estava disponível se você escolhesse manualmente essa opção nas configurações de ETP. De acordo com a empresa, o fingerprinting é ruim porque pode ser usado para rastrear usuários por meses, mesmo que o histórico do navegador seja limpo ou durante a navegação anônima.

Ademais, o Firefox 72 reduz o número de alertas sobre localização e/ou notificações que os sites podem exibir. Nesse sentido, a desenvolvedora substituiu os popups de solicitação de notificação por um pequeno balão na barra de endereço que aparece quando você interage com o site.

Finalmente, o navegador ganhou também suporte a vídeo Picture-in-Picture (PiP) no macOS e no Linux — o recurso já havia chegado ao Windows no Firefox 71. Com isso, o software exibe um ícone azul na borda direita de um vídeo que permite manter o conteúdo em uma janela flutuante, para você poder continuar assistindo enquanto trabalha em outras guias e aplicativos.

É possível baixar a versão mais recente do Firefox aqui.

via Digital Trends, VentureBeat

STF derruba decisão que proibia especial do Porta dos Fundos na Netflix

A Netflix não vai mais ter que remover o Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo do seu acervo: na tarde desta quinta-feira (9), o ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liminar que reverte a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Classificada como censura pela própria Netflix, a proibição de disponibilizar a sátira do Porta dos Fundos foi decidida pelo desembargador Benedicto Abicair em liminar favorável à associação católica Centro Dom Bosco de Fé e Cultura, que considerou a produção ofensiva aos cristãos por, entre outras razões, retratar Jesus Cristo como homossexual.

Em reação, a Netflix recorreu ao STF na manhã desta quinta-feira para manter a sátira em seu catálogo. Para a companhia, “a simples circunstância de que a maioria da população brasileira é cristã não representa fundamento suficiente para suspender a exibição de um conteúdo artístico que incomoda este grupo majoritário”.

No documento que descreve a decisão de anular a proibição do especial humorístico, o ministro Toffoli citou casos anteriores envolvendo liberdade de expressão.

“Não se descuida da relevância do respeito à fé cristã (assim como de todas as demais crenças religiosas ou a ausência dela). Não é de se supor, contudo, que uma sátira humorística tenha o condão de abalar valores da fé cristã, cuja existência retrocede há mais de 2 (dois) mil anos, estando insculpida na crença da maioria dos cidadãos brasileiros”, completou Toffoli.

No Twitter, a Netflix divulgou uma nota que diz: “sobre o especial do Porta dos Fundos: apoio fortemente a expressão artística e vou lutar para defender esse importante princípio, que é o coração de grandes histórias”.

Já o Porta dos Fundos declarou: “o Porta dos Fundos é contra qualquer ato de censura, violência, ilegalidade, autoritarismo e tudo aquilo que não esperávamos mais ter de repudiar em pleno 2020. Nosso trabalho é fazer humor e, a partir dele, entreter e estimular reflexões”.

Vale destacar que, entre a liminar do TJ-RJ e a decisão do STJ, o Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo não chegou a ser removido da Netflix.

Com informações: BBC, UOL.

STF derruba decisão que proibia especial do Porta dos Fundos na Netflix

SpaceX se torna maior operadora de satélites do mundo

O foguete Falcon 9, da SpaceX, enviou com sucesso 60 satélites da Starlink para a órbita terrestre e tornou a empresa a maior de todas quando o assunto é quantidade de satélites no espaço. Mesmo com o recorde anotado nesta semana, mais duas dúzias deles serão lançados em breve.

Os 60 novos satélites da rede Starlink estão juntos de outros 60 que foram lançados durante o ano passado, que trabalharão junto de outros 20 que já estão planejados para sair da Terra ainda em 2020 e fechar o primeiro ano da década (ou último da atual década, se levar o calendário gregoriano como base) com 180 satélites passeando em uma órbita que está 290 quilômetros acima do nível do mar do nosso planeta – para depois irem até 550 quilômetros, na órbita final.

O Starlink é um projeto que pretende levar internet para todos os lugares da Terra, mantendo qualidade de conexão e alta velocidade. Como de costume, toda a missão de entrega dos satélites foi compartilhada em tempo real na conta da SpaceX no Twitter. Também como já aconteceu em outros momentos, o primeiro estágio do Falcon 9 retornou para uma base que tem o nome de “Of Course I Still Love You” – ou “Claro que eu continuo te amando” em tradução livre.

A imprensa americana lembra que alguns satélites não estão funcionando corretamente, então o número oficial deve girar perto de 172, o que ainda assim deixa a SpaceX no primeiro lugar como maior operadora de satélites do mundo, passando o segundo colocado, Planet Labs, que tem 150 deles lá no alto.

Os planos da SpaceX são ainda maiores, com o objetivo de aumentar o número total do Starlink para 1.440 satélites, que farão parte de uma constelação de 42 mil satélites que a empresa levará para o espaço – os da Starlink vão subir ainda em 2020, tá?

Com informações: SpaceX, Ars Technica, Gizmodo e TechCrunch.

SpaceX se torna maior operadora de satélites do mundo

Intel revela GPU dedicada DG1 e detalhes sobre plataforma gráfica Xe

A Intel anunciou durante a feira CES 2020 os primeiros detalhes sobre sua plataforma gráfica chamada Xe: ela é pensada para notebooks, PCs e supercomputadores, assumindo diferentes versões — Xe-LP, Xe-HP e Xe-HPC — dependendo de onde for adotada. A empresa também anunciou uma GPU dedicada, a DG1, para que desenvolvedores otimizem seus aplicativos.

Intel DG1

A estratégia da Intel começa no Xe: uma arquitetura que promete se adaptar para todo tipo de computador, desde um portátil até um gigantesco. Vamos começar pela microarquitetura para laptops: ela se chama Xe-LP (low power, ou baixo consumo de energia) e usa cerca de 20 W de energia, podendo chegar a até 50 W.

Os chips gráficos Xe-LP irão acompanhar os processadores Tiger Lake de 10 nanômetros que serão lançados em 2020. A Intel promete ganhos de desempenho de “dois dígitos” em relação à GPU integrada em seu antecessor, o Ice Lake de 10ª geração.

A Intel colocou um chip gráfico de desempenho semelhante ao Xe-LP em uma placa PCIe separada, a DG1 (Gráficos Dedicados 1, na sigla em inglês). Ela tem uma ventoinha própria, para ser testada sem superaquecer, e permite que desenvolvedores otimizem seus programas para o Tiger Lake e para a plataforma Xe em geral.

Intel DG1 Xe

A DG1 será distribuída apenas para desenvolvedores de software, não para o público em geral. O objetivo é garantir que não ocorram falhas em programas que dependem bastante da placa gráfica, seja um jogo ou o Photoshop. Na verdade, a ideia da Intel não é vender placas de vídeo separadas como fazem a Nvidia e AMD: em vez disso, o chip dedicado acompanharia o processador em um só pacote.

Além disso, os gráficos Xe terão suporte a algo chamado “dynamic tuning” (sintonização dinâmica): fabricantes poderão criar PCs que deixam a GPU funcionar mais rápido se a CPU não estiver sob forte uso. É semelhante à tecnologia SmartShift encontrada em notebooks com processador AMD e chip gráfico Radeon.

Intel DG1 Xe

Intel terá gráficos Xe-HPC em supercomputadores

Temos também a microarquitetura Xe-HP (alta performance na sigla em inglês) pensada para desktops, e a Xe-HPC (computação de alta performance). Esta última é capaz de alcançar vários teraflops de desempenho, ou seja, trilhões de operações de pontos flutuantes por segundo — a Intel não revela números mais precisos.

A empresa diz que planeja incorporar o Xe-HPC no supercomputador Aurora, que ela está desenvolvendo com a fabricante Cray para o Laboratório Nacional Argonne do Departamento de Energia dos EUA.

A estratégia da Intel para GPUs dedicadas é de longo prazo. Em 2017, ela contratou Raja Koduri, que então era arquiteto-chefe de Radeon na AMD. Menos de seis meses depois, ela também conseguiu outro funcionário bem importante: Jim Keller, que trabalhou com Koduri na AMD, e que na época estava na Tesla.

Então, em 2018, a Intel prometeu que sua primeira GPU dedicada chegaria em 2020. Parece que ela vai cumprir o prazo desta vez.

Intel DG1 Xe

Com informações: VentureBeat, The Verge.

Intel revela GPU dedicada DG1 e detalhes sobre plataforma gráfica Xe

Brasil não aceitará pressão dos EUA em leilão do 5G, diz Marcos Pontes

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Marcos Pontes, afirmou que o Brasil não permitirá pressão dos Estados Unidos por conta do leilão do 5G. Segundo ele, o critério técnico é que definirá as empresas participantes no processo.

Pontes se refere à Huawei, que convive desde maio de 2019 com as sanções comerciais impostas pelos EUA. O governo de Donald Trump acusa a companhia de contribuir com o governo chinês em ações de espionagem, algo que a empresa nega.

“Um bom parceiro sempre entende as necessidades do outro”, afirmou Pontes à Bloomberg. “Da mesma forma que o Brasil não fez reinvindicações sobre quais negócios os EUA fazem com a China e como isso afeta nosso ou não agronegócio”.

O ministro é o responsável por gerenciar o leilão que definirá as empresas que implementarão a rede 5G no Brasil. “Com critérios técnicos, é difícil ver como algumas dessas grandes empresas não terão capacidade de participar”, continuou.

O leilão do 5G deveria ocorrer em março deste ano, foi adiado para o segundo semestre e pode ficar até mesmo para 2021. Segundo a Anatel, um dos problemas está no fato da frequência de 3,5 GHz interferir no sinal da TV aberta transmitida por antenas parabólicas.

Com informações: Bloomberg, UOL.

Brasil não aceitará pressão dos EUA em leilão do 5G, diz Marcos Pontes

Amazon diz que funcionários tentaram acessar vídeos de câmeras da Ring

A Ring, empresa da Amazon que ficou famosa com campainhas inteligentes, admitiu nesta semana que alguns funcionários acessaram a câmera do gadget. Estes colaboradores já contavam com este acesso, mas abusaram da responsabilidade, viram mais do que o necessário e a empresa diz que eles já foram demitidos.

Os produtos da Ring, comprada pela Amazon em 2018, são focados em campainhas eletrônicas que oferecem uma câmera para que o morador da casa saiba quem está na porta, além de uma gravação que mostra quem esteve por lá – também existem câmeras, sem a campainha, que podem ser colocadas dentro de casa.

Cinco senadores americanos enviaram uma carta à empresa com questões sobre a privacidade do serviço e querendo saber como ela lida com tantos dados pessoais, com a resposta bastante chata: ela foi quebrada. Foram quatro funcionários que poderiam acessar os conteúdos das câmeras (gravados ou ao vivo) e que buscaram mais do que apenas melhorar a qualidade do produto oferecido, durante um período de quatro anos.

“Embora cada pessoa envolvida nestes incidentes tenha sido autorizada a visualizar os dados em vídeo, a tentativa de acesso a esses dados excedeu o necessário para suas obrigações de trabalho”, comenta a Ring na carta. “Em cada caso, uma vez que a Ring tomou conhecimento da suposta conduta, a Ring imediatamente investigou o incidente e, depois de determinar que o indivíduo violou a política de privacidade da empresa, demitiu o acusado”, completa.

Depois de demitir cada um dos acusados, a empresa diminuiu a quantidade de colaboradores que podem acessar os vídeos, além de estar revendo a real necessidade de cada um acessar este tipo de conteúdo.

Com informações: CNBC.

Amazon diz que funcionários tentaram acessar vídeos de câmeras da Ring