TB Comunidade #006: gerenciador de senha, internet no Japão, Microsoft, Nubank e mais…

Conseguiu dar uma passada na Comunidade do Tecnoblog nos últimos dias? Não? Sem problema, aqui estão as principais discussões desta semana. Falamos sobre os novos ícones do Windows, o golpe do Nubank, a velocidade super-rápida da internet do Japão, gerenciadores de senha, as medidas da União Europeia para reduzir o lixo eletrônico e outros assuntos. Confere aí.

As 5 melhores discussões da semana na Comunidade

  1. Password Managers: Você usa? Qual recomendaria?
  2. Qual teclado para Android vocês usam?
  3. Dublê que tentava provar que terra é plana morre em lançamento de foguete
  4. Nova visualização de Playlist do Spotify
  5. Japão e sua habitual grosseria: Internet de 10Gbps custando… R$ 238,43*

Eu diria que os gerenciadores de senha são essenciais, desde que eles cumpram a função de guardar com segurança as informações dos usuários. Ninguém merece memorizar senhas de 20, 30 caracteres (entre números, símbolos e letras) para cada serviço na internet. Ter um aplicativo para isso, ajuda muito a manter a segurança das contas.

Uma das vantagens do Android em relação ao iOS é a personalização do sistema. O usuário pode instalar diversos temas, launchers e teclados — não que no iOS não seja possível, mas o nível de customização do Android é superior e ponto. Na Comunidade, os membros deram sugestões do que usam. Tem alguns bem diferentes, inclusive.

Você acha sua internet com velocidade de 100 Mpbs rápida? Isso ainda é bem longe média do Brasil. Do outro lado do mundo, no Japão, tem planos de 10 Gbps sendo vendido pelas operadoras, ao custo de 50 euros. Quem sabe essa velocidade chega aqui antes da minha aposentadoria…

As 5 discussões mais quentes sobre pautas do Tecnoblog

  1. Microsoft explica por que Windows não terá mais ícones com flat design
  2. Google pede que usuários não instalem Play Store em celulares Huawei
  3. Vivo Easy tem promoção de internet e cashback de até 100%
  4. União Europeia quer facilitar troca de baterias de celular e fone sem fio
  5. Nubank: cliente perde R$ 12 mil com golpe do falso funcionário

A Microsoft já está preparando novos ícones para o Windows. A troca do design flat para o chamado “Fluent Design” foi justificada pela usabilidade dos aplicativos da empresa em outros sistemas, como o iOS e Android. O flat design, de acordo com ela, fica bom em blocos coloridos, mas os outros sistemas não seguem as mesmas diretrizes de design do Windows.

Os conflitos entre Huawei e Estados Unidos ainda não foram cessados. Mas quem anda perdendo também são os usuários. Segundo o Google, instalar a Play Store em celulares não certificados (especificamente os da Huawei) pode comprometer a segurança do usuário. O problema é: como usar um Android sem a Play Store?

A União Europeia está decidida a reduzir o lixo eletrônico, depois de decidir que os smartphones devem ter um conector único, a nova proposta é de fazer com que as fabricantes facilitem a troca das baterias dos smartphones, para que os consumidores permaneçam mais tempo com o aparelho, substituindo apenas o componente gasto.

Valeu a pena trocar o Disqus pela Comunidade?

A Comunidade do Tecnoblog está chegando aos dois meses de vida, desde a implementação. Em números, está um pouco abaixo (ainda) da quantidade de comentários mensais que havia no Disqus: 5 mil nas últimas quatro semanas contra 6,1 mil em dezembro.

Por outro lado, são comentários mais construtivos, uma discussão mais engajada. Esse formato, de fórum, estimula o debate e isso não é apenas eu quem diz. Os depoimentos vieram dos próprios membros de lá:

Particularmente gosto mais desse formato de fórum.
Os comentários no Disqus se perdiam ao longo do tempo.
Fora que aqui a gente anima mais de postar textos mais longos e conversar sobre mais assuntos

Foi uma boa escolha sim, com certeza o nível das discussões evoluiu e, particularmente, passei a acompanhar mais de perto os comentários através aqui da Comunidade. Antes, nem lia os comentários, somente os posts.

…de qualquer forma está sendo muito melhor que o Disqus, e isso não tem como negar. Só pelo fato de não ter aquele monte de perfil fake com avatares e nomes que não condiziam em nada com a pessoa e que sempre estavam presentes para poluir uma troca de ideias…

Me estimulou muito a comentar, e a fazer textos um pouco mais elaborados para tentar somar com outros colegas de comentários.

Tem vários outros lá no tópico sobre o assunto. A Comunidade do TB nos aproximou dos leitores e ajudou a criar melhores discussões sobre os temas que gostamos. Estamos bem felizes com esse resultado. Obrigado, pessoal. 💙

TB Comunidade #006: gerenciador de senha, internet no Japão, Microsoft, Nubank e mais…

Xiaomi Mi Browser permite salvar stories do WhatsApp

O Mi Browser, navegador que a Xiaomi instala em seus aparelhos e que é uma alternativa para quem não quer (ou não pode, como no caso da China) utilizar o Chrome, oferece um recurso controverso, mas que pode ser interessante para alguns usuários: salvar os stories, chamados de Status, que são exibidos dentro do WhatsApp.

Oferecer alternativas para aplicativos do Google não é exclusividade de aparelhos chineses, até a Samsung faz isso com a Galaxy Apps (loja de aplicativos que coexiste com a Play Store) e o navegador da marca, que está em todos os seus aparelhos e vive em paz no mesmo smartphone que tem o Chrome instalado.

Em alguns casos estas alternativas são interessantes, em outros elas são formas de monetizar com o dono do aparelho. É o caso da Xiaomi, que tem o Mi Browser que oferece algumas propagandas na parte de recomendações que aparece na página inicial do navegador, mas que recompensa a atitude com funções extras. Ela tem até o Mint Browser, mas esse fica de lado agora.

Duas funções ficam em um acesso para o feed do Facebook dentro do navegador e outro é o acesso ao WhatsApp, que pega os stories do mensageiro, chamado de Status, e salva localmente no aparelho. Para isso o navegador entra dentro das pastas do WhatsApp e pega apenas o vídeo – é o que eu quero acreditar, claro.

Se você curtiu a ideia e não se importa com o lado controverso de um aplicativo bisbilhotando os dados de outro app, principalmente de um mensageiro com tantas informações pessoais, dá para baixar o Mi Browser diretamente da Play Store, ou abrir em qualquer celular vendido pela Xiaomi.

Com informações: Android Police.

Xiaomi Mi Browser permite salvar stories do WhatsApp

Microsoft remove recursos da Cortana para focar em produtividade

A Microsoft anunciou que fará algumas mudanças na Cortana para transformá-la uma ferramenta com foco no trabalho. Pensando nisso, a empresa removerá da assistente os recursos relacionados a música, casa conectada e integrações com aplicativos de terceiros.

A assistente também perderá o suporte para versões antigas do Windows que chegaram ao final de seu ciclo de vida. “Recomendamos que os consumidores atualizem seus dispositivos para a última versão do Windows 10 para continuarem usando a Cortana”, afirma a empresa.

A ferramenta ainda deixará de funcionar no Microsoft Launcher para Android no final de abril. Essas mudanças serão feitas porque a Microsoft já não vê a Cortana como uma rival do Google Assistente ou da Alexa.

“A próxima atualização do Windows 10 incluirá acesso a uma nova experiência da Cortana com ênfase na produtividade, ajudando você a encontrar rapidamente as informações desejadas no Microsoft 365”, indicou a companhia em seu comunicado.

O pacote Microsoft 365 tem programas do Office 365, como Word, Excel e Powerpoint, além de e-mail e armazenamento e outras ferramentas para empresas. Entre elas, estão aplicativos de tarefas, calendário, contatos e o Microsoft Teams.

A Cortana se concentrará nesses recursos, mas ainda poderá ser usada para definir alarmes, abrir apps, alterar configurações e fazer pesquisas no Bing, por exemplo. A nova versão da assistente começou a ser testada em julho de 2019, quando passou a exibir uma interface parecida com a de um chat.

De acordo com a Microsoft, as alterações com foco na produtividade serão liberadas primeiro para quem envia comandos de voz em inglês. Os usuários de outros idiomas deverão levar mais alguns meses para receberem as novidades.

Com informações: Microsoft, TechCrunch.

Microsoft remove recursos da Cortana para focar em produtividade

Citroën Ami é um carro elétrico barato que não requer habilitação

Por mais que pareça um brinquedo, o Citroën Ami é um projeto bem sério. Ou pelo menos tenta ser: a novidade da montadora francesa é um carro elétrico de dois lugares e apenas 2,41 m de comprimento (por 1,39 m de largura) que começará a circular pela Europa nas próximas semanas. O detalhe mais interessante: ele poderá ser compartilhado.

Para quem decidir comprar o Citroën Ami, o preço deverá variar entre € 6.000 e € 7.000, dependendo do país. Haverá uma opção de leasing: após pagar € 2.644, o usuário poderá utilizar o veículo pagando € 19,99 por mês.

Haverá também uma modalidade de compartilhamento por aplicativo que exigirá assinatura mensal de € 9,90 e cobrará € 0,26 por minuto de uso.

Motoristas habituados a carros com dimensões convencionais provavelmente estranharão uma proposta como essa, mas o Citroën Ami é voltado para outro tipo de público: adultos que precisam de um carro apenas para viagens curtas ou jovens com idade a partir de 14 anos.

Sim, adolescentes também poderão conduzir o Citroën Ami: em muitos países da Europa, esse tipo de veículo (pequeno e de baixa potência) não requer carteira de motorista, logo, pode ser dirigido por jovens com idade mínima de 14 anos ou, em determinados locais, 16 anos.

A velocidade máxima do Citroën Ami é de 45 km/h e a autonomia é de até 70 km com uma carga completa. A bateria, de 5,5 kWh, precisa de até três horas de tomada para ficar completamente cheia.

Para diminuir os custos e o peso do veículo, a Citroën deixou de equipar o Ami com recursos que, hoje, são triviais nos carros convencionais. O diminuto automóvel não tem ar condicionado ou vidros elétricos, por exemplo. Já o painel é tão simples quanto o de uma moto comum — pelo menos há espaço ali para o smartphone.

É difícil dizer se a proposta da Citroën fará sucesso, mas há potencial na ideia: o Ami vem para ser um veículo barato, com dimensões adequadas para uso urbano, foco em públicos mais adeptos da tecnologia e, tanto quanto possível, pegada ecológica.

O Citroën Ami entrará em pré-venda no final de março na França e, posteriormente, em países como Alemanha, Espanha, Itália e Portugal. A expectativa é a de que as primeiras unidades sejam entregues em junho.

Com informações: The Verge.

Citroën Ami é um carro elétrico barato que não requer habilitação

Epic Games libera InnerSpace e anuncia mais dois jogos grátis

A Epic Games Store liberou InnerSpace de graça para todos os usuários: este jogo de exploração estará disponível pelo preço de R$ 0 até o dia 5 de março, quando a loja vai oferecer outros títulos gratuitamente — GoNNER, com novos desafios todo dia; e Offworld Trading Company, do mesmo designer-chefe de Civilization IV.

Em InnerSpace (normalmente R$ 36,99), você precisa realizar voos de exploração e ajudar o Arqueólogo a recuperar as últimas memórias do Inverso, conjunto de planetas virados ao avesso onde a gravidade empurra para fora.

É uma proposta curiosa que surgiu quando os membros da PolyKnight Games estavam na faculdade. “Se você gosta da ideia de um avião que se transforma em submarino e mergulha no interior da barriga de um semideus, então veio ao lugar certo”, eles dizem.

InnerSpace está disponível para Windows e macOS, e permanecerá gratuito até 5 de março de 2020 às 13h (horário de Brasília); ensinamos aqui como baixar jogos grátis da Epic Games Store. Você pode adicioná-lo à sua conta neste link.

InnerSpace

GoNNER e Offworld Trading Company sairão de graça

Então, entre os dias 5 e 12 de março, será possível baixar outros dois títulos grátis. Um deles é GoNNER (normalmente R$ 19,99): neste jogo de plataforma 2D, todos os usuários jogam na mesma fase gerada automaticamente e tentam atingir pontuações mais altas. Os rankings são zerados à meia-noite.

GoNNER

Por sua vez, Offworld Trading Company (normalmente R$ 37,99) é um jogo de estratégia feito por Soren Johnson, designer-chefe de Civilization IV. A humanidade enfim colonizou Marte, e você comanda uma grande corporação que construirá uma empresa no planeta vermelho e terá o objetivo de dominar o mercado.

Offworld Trading Company

GoNNER e Offworld Trading Company estão disponíveis na Epic Games Store apenas para Windows.

Epic Games libera InnerSpace e anuncia mais dois jogos grátis

Clearview AI ofereceu app de reconhecimento facial para 200 empresas

A Clearview AI, que mantém um sistema com três bilhões de fotos publicadas em redes sociais, revelou que sofreu um vazamento de dados. A falha permitiu o “acesso não autorizado” à sua lista de clientes e tornou público o interesse da empresa em vender seu aplicativo para 200 empresas.

Aplicativo da Clearview AI (Foto: Gizmodo)

O BuzzFeed News obteve os dados, que incluem a quantidade de logins, o número de buscas e a data da última busca de cada cliente da Clearview AI. A reportagem indica que, entre empresas privadas e órgãos de governos, há cerca de 2.900 organizações.

Desse grupo, 2.228 realizaram juntas cerca de 500 mil buscas no sistema da Clearview AI. Entre as companhias privadas, estão as lojas de departamentos Macy’s, que fez cerca de 6.000 buscas, e a Kohl’s, que realizou 2.000 buscas. O Walmart (300 buscas) e a Best Buy (200 buscas) também aparecem no material.

A lista reúne ainda instituições financeiras como Bank of America, Wells Fargo e Coinbase, operadoras como AT&T, Verizon e T-Mobile, e empresas da entretenimento como Madison Square Garden e Eventbrite. Até mesmo a NBA chegou a realizar buscas no aplicativo.

Segundo o BuzzFeed News, a maioria das empresas afirma ter usado o serviço em um período de testes. A Clearview AI costuma oferecer 30 dias grátis para, só então, iniciar a cobrança. Algumas companhias afirmam que não tinham ideia de que seus funcionários estavam usando a ferramenta.

Governos são os maiores clientes da Clearview AI

Apesar das empresas privadas, os órgãos públicos são os principais usuários da Clearview AI. O serviço foi usado na agência de proteção de fronteiras (CBP, na sigla em inglês), que realizou 7.500 buscas, e na agência de imigração, que fez 8.000 buscas. O serviço também foi usado pelo FBI (5.700 buscas), pelo Serviço Secreto (5.600 buscas) e pela Interpol (320 buscas).

Clearview tem três bilhões de imagens para reconhecimento facial (Foto: Reprodução/CBS News)

A Clearview AI recebeu quantias significativas de órgãos como a polícia de Chicago, que investiu US$ 49 mil em um contrato até 2021. O BuzzFedd News informa que o órgão realizou 1.500 buscas por meio das 30 contas que criou após obter sua licença.

Já a polícia de Nova York investiu US$ 15 mil e fez 11 mil buscas com suas 30 contas. O aplicativo ainda foi comprado pelas polícia estadual de Indiana e pelas polícias das cidades de Miami e Atlanta.

O serviço de reconhecimento facial foi testado até mesmo na Casa Branca, que registrou seis buscas em setembro de 2019. A polícia de Toronto, no Canadá, outro foco da Clearview AI além dos EUA, adquiriu licença para 150 contas e realizou 3.400 buscas.

O advogado da Clearview AI, Tor Ekeland, questionou os números apontados na matéria. “Há inúmeras imprecisões nessas informações obtidas ilegalmente. Como há uma investigação federal em andamento, não temos mais comentários”, afirmou ao BuzzFeed News.

Além do vazamento, a empresa tem recebido diversas reclamações das plataformas de onde tira as fotos das pessoas. O Google, o Twitter e o Facebook pediram o fim da coleta de dados de seus usuários por entenderem que a prática viola seus termos de serviço.

Clearview AI ofereceu app de reconhecimento facial para 200 empresas

Raspberry Pi 4 de 2 GB passa por redução permanente de preço

O Raspberry Pi foi lançado há oito anos e, para comemorar o aniversário, o Raspberry Pi 4 Model B vai ficar ainda mais barato: a versão com 2 GB de RAM, que custava US$ 45, agora sai por US$ 35 — mesmo valor do modelo com 1 GB de memória, que continuará à venda.

Eben Upton, da Raspberry Pi Trading, explica no blog oficial que a empresa não conseguiu colocar a quantidade de memória que desejava no Raspberry Pi 4 mais barato. Por isso, ele foi lançado em 2019 nas versões de 1 GB, 2 GB e 4 GB de RAM.

O modelo de 1 GB “é um ótimo media player, servidor doméstico ou controlador incorporado”, diz Upton, mas são necessários 2 GB para obter a melhor experiência de desktop. Felizmente, graças à queda nos preços da RAM, foi possível baixar o preço da variante de 2 GB para US$ 35. Esta é uma redução permanente.

O Pi 4 de 1 GB continuará a ser vendido por US$ 35 para clientes industriais e comerciais, “de acordo com nosso compromisso com o suporte de longo prazo”, explica Upton. No entanto, a maioria dos usuários deve optar pela variante de 2 GB.

Enquanto isso, o Pi 4 de 4 GB segue custando US$ 55. Este é o único modelo vendido oficialmente no Brasil, com autorização da Anatel e da Raspberry Pi Foundation. É possível encontrá-lo no revendedor Filipeflop por R$ 464,90.

A primeira geração do Rapsberry Pi, pequeno computador em uma placa, chegou ao mercado em 29 de fevereiro de 2012; ele foi atualizado várias vezes desde então, vendendo mais de 30 milhões de unidades.

Raspberry Pi 4 Model B – ficha técnica:

  • Processador: Broadcom BCM2711 quad-core (4x Cortex-A72 a 1,5 GHz) de 64 bits
  • Chip gráfico: VideoCore VI de 500 MHz, OpenGL ES 3.0, decodificação H.265 por hardware
  • RAM: 1 GB, 2 GB ou 4 GB LPDDR4
  • Armazenamento: entrada microSD com taxa de transferência máxima teórica de 50 Mb/s
  • Portas:
    • USB Type-C para energia (3A, 5V)
    • 2 portas micro-HDMI, duas telas 4K a 30 fps ou 4K a 60 fps + 1080p a 60 fps
    • 2 portas USB 3.0
    • 2 portas USB 2.0
    • 1 porta Gigabit Ethernet
    • 1 entrada de 3,5 mm para áudio e vídeo composto (via adaptador)
    • 1 conector GPIO de 40 pinos com suporte a interfaces I2C, SPI e UART
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11b/g/n/ac dual-band (2,4 GHz e 5 GHz), Bluetooth 5.0
  • Dimensões: 88 x 58 x 19,5 mm; 46 g

Raspberry Pi 4 de 2 GB passa por redução permanente de preço