Amazon Alexa ganha opção para impedir que humanos ouçam gravações

A resposta parece ser óbvia, mas a Amazon passou a perguntar se usuários da Alexa querem ou não que humanos ouçam suas gravações. Agora, o aplicativo da assistente possui uma opção para quem quiser desabilitar a revisão de áudios por terceiros.

  • , que revelou em abril a existência de milhares de empregados pagos para ouvir o que usuários diziam para a Alexa. Segundo a Amazon, eles ouvem e transcrevem as gravações para melhorar a assistente.

    O problema é que, até então, a prática não havia sido revelada nos termos de uso. Apesar de a empresa dizer que apenas uma pequena fração das gravações é analisada, seus funcionários acabam tendo acesso a dados pessoais como nome e localização dos usuários.

    A Amazon afirma que, caso a nova opção esteja habilitada, “suas gravações de voz poderão ser usadas para desenvolver novos recursos e revisadas manualmente para ajudar a melhorar nossos serviços”. A companhia também atualizou o aplicativo da Alexa para avisar que outras pessoas podem ouvir as gravações.

    “Levamos a privacidade do cliente a sério e continuamente revisamos nossas práticas e procedimentos”, disse uma porta-voz da Amazon à Bloomberg. A revisão de gravações por seres humanos também era adotada na Apple e no Google e foi suspensa nas duas empresas.

    Assim como a Amazon, elas contavam com funcionários para tornar seus assistentes mais precisos no reconhecimento de voz. A Apple afirma que revisava 1% das gravações e prometeu suspender a análise por humanos até que seja feita uma revisão completa do programa. O Google, que afirma fazer trancrições de 0,2% das gravações, deverá manter a suspensão por três meses.

    Amazon Alexa ganha opção para impedir que humanos ouçam gravações

Recommended Posts