Apple estaria desenhando sua própria antena 5G para o “iPhone 12”

Ainda hoje comentamos que o “iPhone 12”, segundo o analista Ming-Chi Kuo, não terá suporte a 2×2 MIMO uplink — o que na prática significaria velocidades maiores de upload. Agora, a Fast Company veio com uma notícia exclusiva relacionada ao assunto: segundo a revista, a antena dos aparelhos 5G lançados em 2020 (ou seja, todos os modelos de “iPhone 12”) será feita pela própria Apple.

De acordo com a matéria, a Maçã não quer usar o módulo de antena QTM 525, da Qualcomm, pois ele não cabe no design que ela criou para o telefone. A Qualcomm fornecerá o chip de modem 5G, o Snapdragon X55, que também é usado nos novos lançamentos da Samsung (Galaxy S20, S20+ e S20 Ultra).

Ainda que o plano seja esse, a Fast Company disse também que a empresa tem — como plano de segurança — um protótipo de iPhone que utiliza tanto a antena 5G quanto o modem 5G da Qualcomm. Esse protótipo teria uma espessura maior e, por isso, só será usado se o “Plano A” for mesmo pelo ralo.

Para termos uma ideia, a Qualcomm afirma que o seu módulo de antena QTM 525 suporta designs de smartphones 5G com menos de 8 milímetros de espessura, o que nos dá uma ideia do que a Apple está planejando para o “iPhone 12”.

O problema são os desafios atrelados a isso. A Apple não tem uma histórico positivo quanto desenha suas próprias antenas (todos aqui devem lembrar do #antennagate). Além disso, a tecnologia 5G por si só tem seus desafios, o que dificulta ainda mais as coisas para a Maçã.

Quer um exemplo? O iPhone 5G usará uma antena phased array, com duas partes que trabalham juntas para formar um feixe de sinal de rádio. O feixe pode ser direcionado eletronicamente em diferentes direções, sem que a antena se mova. O chip do modem e o módulo da antena trabalham juntos para que isso funcione corretamente, segundo uma fonte da revista. E ter essas duas partes feitas por empresas diferentes pode não ser um bom negócio, aumentando o nível de complexidade do projeto.

Por mais que a relação da Apple com a Qualcomm agora esteja bem mais calma, a Maçã quer ter o mínimo possível de peças da fornecedora no iPhone. Ainda de acordo com a fonte da Fast Company, a companhia ainda acha que está pagando royalties demais para a Qualcomm — então, quanto menos componentes dela, melhor.

Por enquanto, só o tempo dirá se teremos mesmo uma antena desenhada pela Apple no “iPhone 12” — a decisão precisará ser tomada, no máximo, até o meio do ano, quando a produção em massa dos aparelhos deverá começar para valer.

via 9to5Mac

Recommended Posts