Apple pede que Trump não aumente tarifas para seus produtos da China

A Apple decidiu se envolver mais na guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. O governo Trump planeja aumentar as tarifas de importação em 25% para um novo grupo de bens da China, o que afetaria os iPhones, iPads, Macs e outros produtos da empresa de Tim Cook. Para a Apple, a ação do governo poderia reduzir as contribuições à economia e diminuir a competitividade da companhia.

Tim Cook não deve estar feliz

Uma carta enviada na segunda-feira (17) pela Apple para o representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, pede que o governo Trump não avance com a decisão de elevar as tarifas de importação. No documento, a empresa lista os produtos que seriam afetados com o aumento dos impostos:

  • iPhone
  • MacBook, iPad, iPod Touch
  • Apple Watch, AirPods, HomePod, Beats Wireless, AirPort, Time Capsule
  • iMac
  • Componentes de reparo de iPhone
  • Apple TV
  • Monitores para computador, módulos de monitores
  • Teclados
  • Fones de ouvido com fio
  • Alto-falantes com fio
  • Baterias, capas com baterias

Ou seja, a maioria do faturamento da Apple seria impactada com a decisão. No primeiro trimestre de 2019, a empresa atingiu receita recorde com serviços, uma área correspondente à App Store, Apple Music, Apple Pay e iCloud, mas é muito dependente de produtos físicos: mais de 53% do dinheiro vem de iPhones, enquanto 18% são de Macs e iPads.

Recommended Posts