Apps (incluindo infantis) são acusados de ter “conteúdo sexual”

Imagem: https://www.niemanlab.org/2018/07/a-journalists-guide-to-the-promises-and-pitfalls-of-reporting-within-open-and-closed-and-semi-open-platforms/

” data-medium-file=”https://zazo.com.br/wp-content/uploads/2019/11/26-apps-chat-600×330.png” data-large-file=”https://macmagazine.uol.com.br/wp-content/uploads/2019/11/26-apps-chat-1260×692.png”>

O fato de a App Store ser uma das maiores lojas de aplicativos do mundo rende, para a Apple, bons frutos — e outros bem ruins. Recentemente, a companhia está no meio de uma discussão sobre alguns aplicativos de conversas distribuídos na plataforma, e por um motivo sério: muitos deles estão recebendo reclamações por possuirem “abordagens sexuais indesejadas”, como noticiado pelo Washington Post.

De acordo com a reportagem, mais de 1.500 reclamações foram protocoladas na App Store contra tais aplicativos de bate-papo, muitos deles com foco no público infantil. Em muitos casos, como você deve imaginar, não é exatamente o app que possui tal abordagem indesejada, mas permite que os usuários propaguem esse tipo de conteúdo.

Nesse sentido, o Washington Post revelou que a maioria desses aplicativos não solicitam que os usuários se registrem; ou seja, mesmo existindo uma classificação indicativa, usuários de praticamente qualquer idade podem acessá-los sem restrição.

Entre os apps analisados estão Monkey, Yubo, LiveChat, Chat para Estranhos, Skout e HOLLA. Segundo a investigação, 19% das avaliações do LiveChat mencionam algum tipo de abordagem sexual:

Um homem doente e com uma cabeça perturbada decidiu mostrar algumas coisas que não deveriam ter sido mostradas.

Esse [app] é um processo judicial em potencial. Os predadores estão por todo o site.

A Apple afirmou que “analisa cuidadosamente todos os aplicativos” enviados para a App Store (como sabemos, o processo de revisão de apps da companhia é bem rigoroso, mas possui as suas falhas), informando, ainda, que mais de 100 mil apps são avaliados semanalmente e filtrados “por meio de algoritmos e curadores humanos”.

Criamos a App Store para ser um local seguro e confiável para nossos clientes obterem aplicativos, e levamos a sério todas as denúncias de conteúdo inadequado ou ilegal. Se o objetivo desses aplicativos não for inadequado, vamos dar aos desenvolvedores a chance de garantir que eles estejam cumprindo [as regras] corretamente, mas não hesitaremos em removê-los da App Store, se não o fizerem.

Realmente, esse é o tipo de problema sério e que pode atingir milhares (senão milhões) de usuários. Para a sua segurança e a da sua família, saiba como ativar as restrições do iOS para evitar que apps, sites e outros tipos de conteúdos sensíveis sejam acessados por crianças.

via 9to5Mac

Recommended Posts