Europeus e brasileiros processam novamente a Apple por lentidão em iPhones

Não, a polêmica envolvendo a redução do processamento de iPhones com baterias antigas/velhas não terminou. Focando especificamente na Europa, nós já comentamos que a Maçã pagou 10 milhões de euros a italianos e 25 milhões de euros a franceses por conta do problema.

Agora, um grupo denominado Euroconsumers — composto pelas organizações Achats (da Bélgica), OCU (da Espanha), Deco-Proteste (de Portugal), AltroConsumo (da Itália) e pela… PROTESTE (do Brasil) — quer que a Apple pague 60 euros a cada usuário afetado pelo que eles chamam de “obsolescência programada”, como informou o iCulture [Google Tradutor].

Em meados de junho, o grupo enviou uma carta à Apple justamente com o intuito de conseguir essa compensação para tais consumidores; agora, no começo de julho, enviaram mais uma — dando à Maçã um prazo de 15 dias para responder; caso a empresa ignore, eles prometeram processá-la.

O que a Apple fará, ninguém sabe. Mas o histórico não tem sido muito positivo para a empresa. Além dos casos comentados acima, recentemente ela concordou em resolver uma ação coletiva semelhante nos Estados Unidos pagando uma quantia de até US$500 milhões. Vale notar que esse é apenas um dos muitos processos abertos por lá.

No Brasil, contudo, a história é diferente. O Procon-SP já notificou a empresa duas vezes e absolutamente nada aconteceu. Diversos outros processos (envolvendo instituições ou organizações, e não processos comuns de pessoas físicas) foram abertos por aqui, e em todos a justiça entendeu que a Apple não errou na sua abordagem.

Veremos como esse novo caso europeu — com a presença de brasileiros — se sairá.

via 9to5Mac

Recommended Posts