Facebook ajuda Ministério da Saúde em ações contra coronavírus

O Facebook anunciou mais medidas para apoiar o Ministério da Saúde no combate ao novo coronavírus, causador da COVID-19. A empresa liberou créditos para o órgão promover anúncios que informem sobre a prevenção da doença.

Com os créditos, o Ministério da Saúde poderá criar campanhas sem custos para informar as pessoas no Facebook e no Instagram. A expectativa é que a ação ajude a conter a propagação do coronavírus, que já registra 57 mortes e mais de 2.400 casos no Brasil.

A empresa também disponibilizou ao ministério uma tela customizada do CrowdTangle, uma ferramenta que indica como conteúdos estão se espalhando na internet. Ela já foi usada em eventos como eleições e, agora, ajudará o governo a monitorar conteúdos sobre o coronavírus nas redes sociais.

O comunicado também destaca os avisos que estão sendo apresentados em buscas sobre a COVID-19 no Facebook e no Instagram. Quando há uma pesquisa sobre a doença, as plataformas exibem um link para o site do Ministério da Saúde.

As medidas para o Brasil se juntam a outras que já haviam sido adotadas mundialmente pelo Facebook. Uma delas, criada para evitar a desinformação, proíbe anúncios de máscaras ou de falsas promessas de cura do coronavírus.

Facebook e Instagram evitam fake news sobre coronavírus

O Facebook está removendo há algumas semanas posts com informações falsas sobre a COVID-19 que podem causar danos às pessoas. Isso também acontece no Instagram, que evitará destacar conteúdos sobre a doença na seção Explorar.

As redes sociais também prometem limitar o alcance de publicações que sejam classificadas como falsas por agências de checagem de fatos. E, para estimular o isolamento, o Instagram criou o sticker “Em casa” e liberou o recurso Co-Watching, para você e seus amigos verem posts ao mesmo tempo.

Facebook ajuda Ministério da Saúde em ações contra coronavírus

Recommended Posts