Fraudes envolvendo criptomoeda Libra se espalham no Facebook

O

Para convencer as vítimas, os golpistas usam diversos argumentos. Só para dar um exemplo, o Washington Post encontrou um vídeo que, enquanto mostra Mark Zuckerberg, explica que o Facebook já distribuiu 20 milhões de Libras para os primeiros investidores. Novamente, tudo falso.

O Facebook vem removendo as páginas e perfis fraudulentos. Mas não dá para dizer que o problema foi resolvido: a companhia só tomou providências depois que o Washington Post denunciou as fraudes. Essa situação sugere que o Facebook não está conseguindo controlar tentativas de golpes envolvendo a futura criptomoeda.

Por ora, esse problema não é tão grave. Mas, a não ser que o Facebook crie filtros eficazes para combater fraudes, contas e páginas falsas poderão se tornar numerosas a ponto de dificultar a aceitação do Libra por órgãos reguladores e autoridades monetárias, mais do que o previsto.

Isso porque, sem controle antifraude eficaz, os compradores do Libra legítimo estarão sujeitos a esquemas enganosos (como os de pirâmides) similares aos que envolvem o Bitcoin e outras criptomoedas.

Pelo menos o Facebook tem o fator tempo a seu favor: um dos motivos que levaram a Associação Libra a prometer o lançamento da moeda digital apenas em 2020 é justamente o ganho de um prazo para identificar deficiências e desafios que possam inviabilizar a ideia.

Tecnocast 121 – Libra, a criptomoeda do Facebook

Recommended Posts