Jennifer Aniston ganha 2º prêmio para “The Morning Show”; lançamento de “The Banker” gera mais polêmica

Após uma avalanche de notícias sobre estreias no serviço, a semana começou mais uma boa notícia para o Apple TV+ — e outra nem tanto.

Uma das produções mais populares da Maçã (“The Morning Show”) faturou o seu segundo prêmio! Por outro lado, a gigante de Cupertino continua lutando para lançar o filme “The Banker”, o qual já havia sido adiado.

Jennifer Aniston ganha SAG Awards

Ontem (19/1), ocorreu a 26ª edição do Screen Actors Guild (SAG) Awards, em Los Angeles. Mais uma vez, algumas apostas da noite incluíam o drama do Apple TV+ “The Morning Show”.

Como informamos em dezembro passado, a atriz Jennifer Aniston (que protagoniza o papel de Alex Levy) concorria na categoria “Melhor Atriz em Série Dramática”. E para a felicidade de Aniston (e da Apple), ela saiu do evento como a grande vencedora.

Confira o discurso de agradecimento da atriz:

Com isso, “The Morning Show” acumula agora dois prêmios: um Critics’ Choice Movie Awards (pela atuação de Billy Crudup como Melhor Ator Coadjuvante) e um SAG Awards.

Essa é a primeira vez que Anniston ganha nessa categoria do SAG Awards; sua última vitória na premiação foi em 1996, na categoria “Melhor Elenco de Série de Comédia” com “Friends”.

Crudup e Steve Carrell também foram indicados ao SAG Awards na categoria “Melhor Ator em Série Dramática”, mas o vencedor foi o ator Peter Dinklage (“Game of Thrones”).

Lançamento de “The Banker”

O drama em torno do lançamento do filme “The Banker”, do Apple TV+, continua: após Bernard Garrett Jr. (filho do banqueiro retratado na produção) ter sido acusado de abuso sexual pelas irmãs, a Apple alegou que tais acontecimentos ocorreram fora da narrativa desenvolvida no filme.

Com isso, os produtores sentiram que deveriam dar prosseguimento ao lançamento da produção, afirmando que “sentem que o filme conta uma história de empoderamento e bravura”.

No entanto, as irmãs de Garrett Jr. (Linda Garrett e Kathy Ussery Garrett) exigem que a Maçã cancele o lançamento do filme devido ao fato de a produção ser “imprecisa” no que tange à história do seu pai — mesmo que elas não sejam retratadas no longa e nem estiveram envolvidas na produção, como divulgado pelo Hollywood Reporter.

A história foi roubada e distorcida de forma que isso prejudicou a família. Eles [a produção] manipularam a narrativa.

A Apple, no entanto, não voltou atrás na decisão de lançar o filme no dia 6 de março. Contudo, como resultado da pressão familiar e do público, a companhia acrescentou um aviso declarando que ele é “baseado em fatos reais”, em vez de ser um filme biográfico.

via MacRumors, AppleInsider

Recommended Posts