New York Times deixa o Apple News para focar em “relações diretas com os leitores”

Se o Apple News já não é um dos serviços mais populares ou benquistos da Maçã, o dia de hoje certamente representará um golpe duro para a plataforma: o New York Times, um dos maiores medalhões do seu catálogo de periódicos, anunciou1 que está deixando o serviço.

A saída é imediata: a partir de hoje, as notícias e reportagens do jornal já não estão aparecendo no Apple News. De acordo com o periódico, a parceria foi encerrada porque a Maçã não ofereceu ferramentas para que os leitores do News se relacionassem diretamente com o jornal. Em um memorando aos empregados da publicação, a COO Meredith Kopit Levien escreveu o seguinte:

Parte central de um modelo saudável entre o Times e as plataformas é um canal direto para mandar os leitores aos nossos domínios, onde nós controlamos a apresentação das nossas reportagens, a relação com nossos leitores e a natureza das regras do nosso negócio. Nosso relacionamento com o Apple News não incluía esses parâmetros.

A relação do New York Times com a Apple, embora próxima, nunca foi das mais amistosas: no início do ano passado, o CEO do jornal alertou editores em relação a possíveis riscos trazidos pelo Apple News+, o serviço (pago) da Maçã de acesso total a periódicos. O NYT, vale notar, nunca chegou a entrar no Apple News+, então os assinantes da plataforma não verão uma perda nesse sentido.

De qualquer forma, a saída do jornal do Apple News “comum” é um abalo e tanto: o NYT é um dos jornais mais respeitados dos Estados Unidos — tanto é que a Maçã destacou a sua presença na plataforma em diversas oportunidades. Para um serviço que ainda tenta encontrar seu público, a saída de um nome tão grande é preocupante.

Obviamente, a justificativa do jornal pode ser lida também do ponto de vista financeiro. O NYT tem a sua plataforma de assinaturas própria, onde fica com 100% da receita gerada pelos usuários; no Apple News, a Maçã fica com 30% da receita de qualquer assinatura feita pela plataforma, além de boa parte do dinheiro gerado com anúncios.

A Apple comentou a decisão do Times com uma leve cutucada, afirmando que o jornal oferecia apenas algumas reportagens por dia para serem publicadas na plataforma. A empresa declarou que permanece comprometida a levar aos seus usuários conteúdo jornalístico confiável de milhares de publicações, ao mesmo tempo em que mantém um sistema “que apoia o jornalismo de qualidade através de anúncios, assinaturas e comércio, modelos de negócio testados e aprovados”.

Ok, então…

Recommended Posts