Nos EUA: preços de produtos Apple não deverão ser afetados por novas tarifas

Imagem: https://www.shutterstock.com/pt/image-photo/latest-iphone-xs-unopened-box-on-1213375660

” data-medium-file=”https://zazo.com.br/wp-content/uploads/2019/08/05-iphone-dolares-600×400.jpg” data-large-file=”https://macmagazine.uol.com.br/wp-content/uploads/2019/08/05-iphone-dolares-1260×840.jpg”>

Mais do que um grande informante sobre as possíveis novidades dos próximos gadgets da Apple, o tão comentado analista Ming-Chi Kuo também oferece, vez ou outra, seus palpites sobre questões que estão contornando a gigante de Cupertino.

Recentemente, informamos que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou uma nova rodada de impostos que poderão afetar produtos da Apple fabricados na China e vendidos no mercado americano. Mas para o analista da TF Internacional Securities, isso não significa que os iGadgets deverão ficar mais caros por lá.

Kuo sugeriu que a Apple se preparou bem para esse cenário (que há meses se mostrava possível) e prevê que a companhia “absorverá a maior parte dos custos adicionais” a médio prazo. Se constatado, isso significa que os preços dos produtos da Maçã e o número de remessas para o mercado dos EUA permanecerão inalterados, apesar das tarifas.

Se as sanções contra a China persistirem por muito tempo, o analista acredita que as fornecedoras da Apple fora do território chinês “deverão atender a maior parte da demanda do mercado americano nos próximos dois anos”, como imaginado pelo executivo da Foxconn, Young Liu.

Nos últimos meses, a Maçã vem expandindo a fabricação de seus produtos na Índia e no Vietnã como parte da sua estratégia para diversificar a produção além da China. Especificamente, Kuo acredita que a fabricação de iPhones, iPads e Apple Watches fora da China já atenda à demanda dos EUA no próximo ano, enquanto a produção de Macs não deverá alcançar o índice ideal antes de 2021.

As previsões de Kuo, no entanto, vão de encontro com a posição defendida recentemente pelo CEOCook informou que, apesar das especulações sobre a mudança de parte da produção da empresa para fora da China, ele mesmo não investiria muito nisso: “peças vêm de todos os lugares, incluindo os EUA”.

via AppleInsider| imagem: Gorlov-KV / Shutterstock.com

Recommended Posts