Pré-venda dos novos iPhones está superando com folga a dos modelos de 2018

Nosso amigo de sempre, Ming-Chi Kuo, está em todas: o analista dá palpite nas futuras versões de iPhones e, quando elas são lançadas, traz todas as suas estimativas de vendas e sucesso (ou fracasso) dos aparelhos. É o trabalho dele, afinal — e não poderia ser diferente com os novos smartphones da Maçã, que entraram em pré-venda na última sexta-feira e chegarão às prateleiras na próxima sexta em vários países.

Em nota enviada a investidores e obtida pelo MacRumors, Kuo estimou que o iPhone 11 representa 45% dos pedidos de pré-venda dos novos smartphones da Maçã. Os modelos mais caros da linha (11 Pro e 11 Pro Max) representam os 55% restantes, mas não há informações do analista sobre a divisão interna de popularidade entre eles.

A notícia não chega a ser uma surpresa, já que o iPhone 11, com seu preço (relativamente) mais baixo e boa lista de especificações, promete ser um queridinho do público — assim como o iPhone XR foi no ano passado. Ainda assim, Kuo lembrou que a popularidade dos modelos OLEDA Reuters trouxe algumas fontes: a plataforma chinesa Tmall (do Alibaba), por exemplo, registrou um aumento de 335% nas vendas iniciais do iPhone 11 em relação ao iPhone XR, no ano passado.

O ecommerce chinês JD.com, por sua vez, afirmou que a pré-venda dos novos modelos no site foi 480% maior que a dos seus antecessores no primeiro dia. Os iPhones mais populares por lá, até o momento, são o iPhone 11 Pro verde meia-noite e os iPhones 11 preto e roxo.

Duas firmas de análise — a Instinet (do banco japonês Nomura) e a Wedbush — corroboraram, por meio de conversas com pessoas na cadeia de fornecimento dos iPhones na China, a hipótese de que os novos modelos estão com demanda muito maior que no ano passado. Ou seja, os prospectos iniciais dos aparelhos são deveras positivos — vamos ver se eles mantêm o fôlego.

via 9to5Mac

Recommended Posts