Você é patrão do MacMagazine? Muito obrigado!

Mensalmente, fazemos questão de agradecer a todos os que estão nos apoiando pelo Patreon ou pelo Catarse.

Aos que não sabem, o MacMagazine produz conteúdo sem parar há mais de 13 anos. Já publicamos mais de 56.700 artigos, mais de 330 episódios do nosso podcastdezenas de vídeos no YouTube e moderamos um Fórum com mais de 56.000 membros cadastrados e mais de 413.000 posts.

Logos do Patreon e do Catarse

Não é fácil manter isso tudo por tanto tempo — muito menos com o nível de dedicação e qualidade que nos impomos diariamente. Quer uma prova? Somos um dos poucos sites constantemente atualizados nos fins de semana e feriados! E, apesar de contarmos com a colaboração de uma equipe da qual nos orgulhamos muito, o “grosso” do site é mantido basicamente pela dupla Rafael Fischmann e Eduardo Marques, junto a dois redatores.

Os custos mensais dessa operação — incluindo hospedagem de toda a nossa infraestrutura, remuneração de redatores/colunistas e moderadores do MM Fórum, resolução de problemas técnicos, equipamentos para a redação e para gravação dos vídeos, etc. — são bastante elevados. A ideia, desde o começo, era de que o projeto todo pudesse se sustentar com publicidade, mas infelizmente a realidade não é essa.

Por isso abrimos o Patreon e o Catarse: para que você, que acompanha o nosso trabalho de perto, possa nos apoiar financeiramente a fim de manter todo esse projeto ativo e em constante crescimento. Não importa com o quanto você nos apoia; somos igual e eternamente gratos a todos!

São hoje 197 pessoas que fazem parte do nosso quadro de patrões. Além de nos apoiar, todos obtêm alguma recompensa como participar dos sorteios que realizamos no site, poder acompanhar as gravações do nosso podcast ao vivo — e até participar de um episódio! —, ter prioridade para viajar com a gente em futuros MM Tours, acessar o nosso grupo fechado no Facebook para bater-papo com a equipe e outros patrões, entre outras coisas.

Ainda assim, estamos bem longe de bater a nossa meta. É claro que 197 é um número incrível, porém não chega a representar nem 0,1% do público que acompanha o nosso trabalho diariamente. E não se engane: qualquer contribuição, seja do valor que for, é muito bem-vinda!

Por isso, somos absurdamente gratos a todos os que apoiam o nosso trabalho no MacMagazine, em especial aos nossos patrões a seguir listados. Saibam que *todos* vocês estão contribuindo enormemente para o mantimento do nosso projeto.

Badge de Patrões Platinum Patrões Platinum

Logo da Go Imports

Logo da MacServices

Logo da Monetizze

Badge - Patrão Ouro Patrões Ouro

Badge - Patrão Prata Patrões Prata

Badge - Patrão Bronze Patrões Bronze

  • Adelino Ferreira
  • Akira Kiam
  • Alan Wünsch
  • Alberto Yano
  • Alexander Jun Matsuda
  • Alexandre Balbao
  • Alexandre Barreto
  • Alexandre Colares
  • Alexandre Jensen
  • Alexandre Torres
  • Anderson Chamon
  • Andre Cataldi
  • Andre Correia
  • Augusto Cesar Bittencourt Pires Junior
  • Bruno Barbieri
  • Bruno Franco
  • Cacá Lima Foto
  • Caio Perona
  • Carlos D. Panzan
  • Carlos Eduardo Pinto
  • Christian Mentta
  • Christian Nakada
  • Claudio Coelho
  • Dalvan Cunha
  • Daniel Barbi Lemos
  • Daniel de Paola
  • DanielLauro
  • Dário Batista Moreno Neto
  • Delano Sento-Sé
  • Deivid Loureiro
  • Diego Rebello
  • Diésley Silva Valadares
  • Eduardo Henrique dos Santos Rios
  • Eduardo Lopes
  • Eduardo Ribeiro Costa
  • Elmer Mesquita
  • Elton Volponi
  • Emerson Magrão
  • Evandro Bruns
  • Fabio
  • Fábio Gonçalves
  • Fábio Vasconcelos
  • Fabio Z.C.
  • Fernando Alves
  • Fernando Eder Gomes
  • Flávio Campos
  • Francisco Fernandez
  • FЯΞD
  • Geraldo Theodoro Tristão
  • Giuliano C. da Costa
  • Gleison Avelino de Oliveira
  • Guilherme
  • Guilherme Guedes Domingues
  • Guilherme Hagel
  • Guilherme Pinzegher
  • Guilherme Scardua
  • Gustavo da Silva Lima
  • Helio Sumita
  • Henrique Fascini
  • Iann Beneteli
  • Isnardo Ramalho Villarroel
  • Jaide Murilo Ferreira da Silva
  • Jean Modesto
  • João Gurgel
  • Jonas Jacques
  • Jorge Reis Fleming
  • José Gonçalves de Oliveira Júnior
  • José Oniram
  • Juliano Valadares
  • Julio Henrique
  • Krishnamurti Reis
  • Lennon Muniz
  • Leonardo Lence Barbosa
  • Leonardo Montenegro Falcão
  • Leonardo Zertus Abilese
  • lgoldfeld
  • Lucas Cimino
  • Lucas Crepaldi
  • Lucas Giorgetti de Andrade
  • Lucas Rodrigues Lapa
  • Luiz Fernando Fajardo de Andrade Lima
  • Luiz Mariani
  • Mackley Magalhães da Silva
  • Maicon F. Santos
  • Marcelo Dumke
  • Marcelo Honda
  • Marcelo Rossi
  • Marcio da Costa de Biaso
  • Marcio Castro Mendes
  • Marco Gomes
  • Mark Bierast
  • Matt Godoy
  • Mauricio da Silva Oliveira Junior
  • Max Malta
  • Miguel Dias Teodoro Junior
  • Miguel Dornaes
  • Nilson Sales dos Santos
  • Nuremberg Menezes
  • OM
  • Omar Cassado
  • P. S. de Castro Botelho
  • Pat Junqueira
  • Paulo Victor T Lacerda
  • Pedro Henrique
  • Pedro Jr
  • Priscilla Mansur
  • Rafael Calunga
  • Rafael Lustosa Matos
  • Rafael Nogueira
  • Rafael Zacharias
  • Raphael
  • Renato Mota
  • Renato Navarro
  • René Lacerda
  • Ricardo Lemos
  • Roberto Jundi Furutani
  • Robson Azevedo Rung
  • Rodrigo Alonso
  • Rodrigo Oliveira Prado
  • Rodrigo Reis
  • Rodrigo Rezende
  • Rodrigo Rodrigues
  • Rodrigo Rodrigues
  • Rogerio Buzelli
  • Saulo Marques de Sousa
  • Saymon Castro de Souza
  • Tarito Chan
  • Thiago Moreira
  • Tiago Peruchin
  • Victor Milani
  • Victor Moreno
  • Victor Oliveira
  • Vinicius Carvalho Machado
  • Vinicius Emer Kern
  • Vinicius Marzo Almeida da Silva
  • Vinicius Patrinhani
  • Vitor Gustavo Costa
  • Vitor Valério Maffili
  • Wagner Roth
  • Weliton Rodrigues
  • Wellington Santos
  • Ygor Rangel e Silva

Muito obrigado, galera! 😀

MM Responde: como instalar atalhos não confiáveis?

Hoje é mais um dia de nossa coluna MM Responde!

A pergunta do dia é: como instalar atalhos não confiáveis?

App Atalhos

Desde o iOS 12, o aplicativo Atalhos (Shortcuts) — uma reedição do antigo Workflow, que foi adquirido pela Apple — possibilita tornar a experiência de uso do seu iGadget ainda mais personalizada.


Ícone do app Atalhos

Atalhos

de Apple

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 2.2.2 (142.8 MB)
Requer o iOS 12.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Com o app, você pode criar ou baixar atalhos (espécie de “receitas”) que tiram proveito de uma série de recursos do sistema para automatizar ou simplificar tarefas em outros apps, sejam eles nativos ou não. Nós explicamos bem como ele funciona nesse artigo.

iOS 13 e os atalhos não confiáveis

Se você está tentando instalar um atalho no iOS 13 e está sendo bloqueado com a mensagem que ele não é confiável, saiba que há uma alternativa para isso.

Esse conceito de “não confiável” não significa que esses atalhos sejam ruins para o seu aparelho, apenas que eles foram criados pela comunidade e não estão disponíveis na galeria oficial do aplicativo. Para permitir a instalação desses atalhos, siga os passos abaixo:

  1. Abra o aplicativo Ajustes;
  2. Toque em Atalhos;
  3. Ative a opção “Atalhos Não Confiáveis” e digite a sua senha.
Permitir atalhos não confiáveis no iOS 13

Caso ele não esteja permitindo que você faça essa liberação, há uma alternativa:

  1. Abra o aplicativo Atalhos;
  2. Na aba “Galeria”, escolha e adicione algum dos atalhos disponíveis;
  3. Agora abra o aplicativo Ajustes;
  4. Toque em Atalhos;
  5. Ative a opção “Atalhos Não Confiáveis” e digite a sua senha.

Pronto, agora você pode instalar atalhos criados por terceiros que estejam fora da galeria oficial da Apple — e existem muitas opções legais!

·   •   ·

Se você procurou resposta no MM Fórum e não encontrou ou se você simplesmente tem alguma sugestão para o MM Responde (selecionaremos uma por vez), é só mandar um email para mim [marcelo arroba nosso domínio] ou falar comigo no Twitter [@marcelodemelo].

Até a próxima! 🤓

Conceito de MacBook Pro de 16″ inclui 6 portas USB-C e design mais arredondado

O tempo no relógio não para, mas isso também significa que estamos cada vez mais próximos (ou não) do lançamento de um provável MacBook Pro de 16 polegadas; afinal, alguns rumores “confirmaram” que o próximo notebook topo-de-linha da Maçã poderá ser anunciado ainda este mês.

O problema é que, pelos últimos vazamentos, ele parece que manterá o mesmo design do modelo atual — as maiores mudanças ficarão mesmo por conta da tela com menos bordas e a volta de um teclado com mecanismo tesoura.

Mas sonhar não custa; e, para alimentar ainda mais a imaginação (e a ansiedade) de algumas pessoas, um novo conceito do MacBook Pro de 16″ oferece mais uma perspectiva do que poderia ser o design dessa máquina.

Entre as possíveis características desse notebook divulgadas no conceito, duas se destacam: a primeira é, obviamente, a tela de 16″ e como o chassi acomodará a tela maior tendo quase que o mesmo tamanho do MacBook Pro de 15″ (a partir da redução dos bezels do display). A segunda é a inclusão de seis(!) portas USB-C, duas a mais que os modelos atuais, sendo três delas Thunderbolt 3.

Conceito de MacBook Pro de 16"

Ainda conforme imaginado e ilustrado no render, o chassi do MacBook Pro de 16″ também seria sutilmente diferente daquele visto nos modelos atuais, com as bordas levemente curvadas e menos quadradas que basicamente todos os modelos de MacBooks (lembrando bem o formato do MacBook branquinho).

Conceito de MacBook Pro de 16"

Como destacado pelo 9to5Mac, nem tudo sobre esse conceito é perfeito. Nesse sentido, desde a implementação da Touch Bar, alguns usuários clamam pela existência de um botão físico de emergência caso a pequena barra sensível ao toque dê algum problema; mais do que isso, o trackpad também foi exageradamente aumentado no render, causando uma certa estranheza.

De um jeito ou de outro, somente o tempo revelará como (ou melhor, se) o tal MacBook Pro de 16″ será anunciado. Não obstante, o que você gostaria de ver em uma máquina assim que não foi adicionado ao conceito? Devaneie nos comentários abaixo! 😀

Sim, é possível gravar um CD pelo Apple Watch (não que alguém esteja perguntando)

Apesar de ser um produto já relativamente amadurecido, ainda existe um bocado de coisas que você não pode fazer com um Apple Watch — o que é óbvio, já que o próprio formato (e tamanho de tela) do reloginho torna várias tarefas difíceis, enfadonhas ou mesmo impossíveis.

Sabe o que não é impossível de se fazer com o Watch, por outro lado? Gravar um CD. De certa forma.

A descoberta é do intrépido desenvolvedor Niles Mitchell, do canal do YouTube “Will It Work?”. Mitchell, que é especialista na arte do AppleScript, usou um Apple Watch Series 5, um iMac (com um gravador de CD externo da Apple plugado) e um serviço de conexão FTP, o Rumpus. E sim, deu tudo certo.

Isto é, depende do que você classifique como “dar certo”. Como lembrou Mitchell, o Apple Watch ainda não permite que você acesse e transfira arquivos por ele, então o máximo que o desenvolvedor conseguiu foi criar pastas dentro do CD. Ainda assim, o processo foi concluído: ele simplesmente enviou um link com o IP do Rumpus, conectado à pasta do CD, por iMessage, abriu-o no relógio, criou as pastas e, usando um código criado no AppleScript, enviou um comando ao Mac para gravar o disco.

Caso você queira realizar um feito parecido, portanto… já sabe que é possível. Seja lá por que motivo seja.

via Cult of Mac

Os 5 artigos mais lidos no MacMagazine: de 13 a 20 de outubro

https://www.shutterstock.com/pt/image-photo/young-pretty-brunette-woman-eat-chocolate-465902531?src=MhymNNBoFUlGRkxbgJkINA-1-17

” data-medium-file=”https://zazo.com.br/wp-content/uploads/2019/10/29-mulher-600×393.jpg” data-large-file=”https://macmagazine.uol.com.br/wp-content/uploads/2018/04/29-mulher-1260×826.jpg”>

Semanalmente, destacamos aqui os 5 artigos mais lidos no MacMagazine — caso você tenha perdido algum ou queira reler a matéria (e/ou seus comentários).

Eis a lista da vez, de 13 a 20 de outubro:

Boa (re)leitura! 😉

imagem: Shutterstock.com

Apple Watch Series 5 está em pré-venda no Brasil

Imagem oficial: https://www.apple.com/br/watch/

” data-medium-file=”https://zazo.com.br/wp-content/uploads/2019/10/19-apple-watch-edition-600×303.jpg” data-large-file=”https://macmagazine.uol.com.br/wp-content/uploads/2019/10/19-apple-watch-edition-1260×637.jpg”>

Os iPhones 11, 11 Pro e 11 Pro Max começaram a ser vendidos pela Apple no dia 18 de outubro; uma semana antes, contudo, as varejistas parceiras da Apple já estavam fazendo a pré-venda dos aparelhos. Bem, o mesmo cenário se repetiu com o Apple Watch Series 5.

Com o início das vendas marcado para o dia 25 de outubro, o mais novo relógio da Maçã já está em pré-venda em lojas como Fast Shop, Americanas.com, Submarino, Shoptime, Casas Bahia, Pontofrio.com, Magazine Luiza, iPlace e outras.

Os preços, como informamos, vão de R$3.999 (modelo de alumínio, GPS, 40mm) a R$12.499 (modelo Edition de cerâmica, GPS + Cellular, 44mm). Comparativamente, eles estão um pouco mais baixos/no mesmo patamar que os praticados pela Apple no lançamento do Apple Watch Series 4 aqui no Brasil.

Vale sempre ressaltar que os modelos homologados por aqui são os mesmos vendidos na Europa e na Ásia. Contudo, a tendência é que os relógios comprados nos Estados Unidos (e que são diferentes dos comercializados aqui) também funcionem sem problemas.

Isso porque os modelos americanos, como os europeus/asiáticos) também contam com suporte às bandas 3 e 7 (nenhum deles oferece suporte à banda 28); ou seja, tecnicamente eles podem funcionar perfeitamente no Brasil. A única dúvida é se a Apple pretende oferecer algum tipo de suporte/garantia para o modelo vendidos nos EUA.

Aos interessados… boas compras! ⌚️

Apple supera Microsoft é mais uma vez a empresa mais valiosa do mundo

No final da semana passada, as ações da Apple [$AAPL] bateram um novo recorde durante o pregão da NASDAQ e fecharam o dia num valor que fez a empresa empatar com a Microsoft [$MSFT] em valor de mercado.

As duas continuaram brigando aqui e ali durante os últimos dias, mas foi só ontem (18/10) que a Apple, após muitos meses, voltou a superar de fato a Microsoft e recuperou o post de empresa de capital aberto mais valiosa do mundo.

A $AAPL fechou a semana valendo US$236,41, uma alta de 0,48% em relação ao fechamento de quinta-feira; enquanto isso, a $MSFT caiu 1,63% e fechou o dia a US$137,41. Com isso, os market caps de ambas foram respectivamente a US$1,068 trilhão e US$1,049 trilhão. A diferença não é grande, mas o simbolismo é o que vale aqui.

Enquanto isso, a Amazon [$AMZN], que chegou a ficar com essa coroa por um tempo, está valendo agora US$869,4 bilhões e poderá ser ultrapassada em breve pela Alphabet [$GOOG], dona do Google, que está com um valor de mercado de US$864 bilhões.

Aparentemente, a recepção do mercado melhor que o esperado pelos novos iPhones animou analistas/investidores de Wall Street. Mas a Microsoft também está numa fase excelente, então a briga entre elas por esse posto certamente perdurará.