Promoções do dia na App Store: Earth 3D – World Atlas, The DumDumb Race, Mass Rename e mais!

Confira e aproveite a nossa tradicional seleção de promoções nas App Stores desta terça-feira!

Procurando um atlas para aprender um pouco mais sobre o mundo? Conheça o Earth 3D – World Atlas, desenvolvido pela 3Planesoft.

Mais uma vez nosso destaque do dia, esse globo em 3D apresenta as maravilhas do mundo, o mapa físico/político e o clima. Descubra informações fascinantes e úteis sobre o planeta em uma interface simpática e amigável.


Ícone do app Earth 3D - World Atlas

Earth 3D – World Atlas

de 3Planesoft

Compatível com Macs
Versão 6.2.0 (865.7 MB)
Requer o macOS 10.8 ou superior

R$ 10,90

Badge - Baixar na Mac App Store

Código QR Código QR

Screenshot do app Earth 3D - World AtlasScreenshot do app Earth 3D - World AtlasScreenshot do app Earth 3D - World AtlasScreenshot do app Earth 3D - World AtlasScreenshot do app Earth 3D - World AtlasScreenshot do app Earth 3D - World AtlasScreenshot do app Earth 3D - World AtlasScreenshot do app Earth 3D - World Atlas

Nota na App Store

Minha nota

O app conta com mais de 2.000 objetos, 500 destaques do mundo e 2.100 fotos, com descrições e muito mais!

Confira um vídeo dele:

Curtiu? Aproveite o oferta! 🧐

·   •   ·

Abaixo outros aplicativos/jogos que, juntos, somam quase R$57 de desconto:

Apps para iOS


Ícone do app The DumDumb Race

The DumDumb Race

de Peekaboo Studios LLC

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 3.0 (618.1 MB)
Requer o iOS 9.0 ou superior

Grátis R$ 7.90

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Aplicativo divertido.


Ícone do app Mini Calculator Keyboard - Pluskey

Mini Calculator Keyboard – Pluskey

de Shira Shapira

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 1.8 (21.9 MB)
Requer o iOS 8.0 ou superior

Grátis R$ 3.90

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Teclado/calculadora.


Ícone do app SatFinder Pro

SatFinder Pro

de Yuriy Kvasha

Compatível com iPhones
Versão 3.56 (8.7 MB)
Requer o iOS 9.0 ou superior

Grátis R$ 14.90

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Encontre satélites.


Ícone do app ALONE...

ALONE…

de Laser Dog

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 1.0.12 (59.4 MB)
Requer o iOS 8.0 ou superior

R$ 3,90 R$ 7.90

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Jogo casual.

Apps para macOS


Ícone do app Mass Rename

Mass Rename

de Giorgos Trigonakis

Compatível com Macs
Versão 1.01 (5.3 MB)
Requer o macOS 10.8 ou superior

R$ 7,90 R$ 22.90

Badge - Baixar na Mac App Store

Código QR Código QR

Utilitário para renomear arquivos.


Ícone do app ImageSize - Resize Photos

ImageSize – Resize Photos

de Day 1 Solutions SRL

Compatível com Macs
Versão 1.2 (8 MB)
Requer o macOS 10.10 ou superior

R$ 3,90 R$ 14.90

Badge - Baixar na Mac App Store

Código QR Código QR

Utilitário para imagens.

·   •   ·

Aproveitem as ofertas até amanhã! Ah, lembrando que elas são sempre por tempo limitado, então é bom correr! 😀

Apple ainda lidera segmento de computação móvel, mas Lenovo está na sua cola

À medida em que os limites entre tablets e notebooks vão se embaralhando (vide o iPad Pro e o Surface Book, por exemplo), é difícil quantificar o desempenho de uma determinada fabricante considerando apenas uma “ponta” do mercado. Por isso, já há algum tempo, a Strategy Analytics adota uma estratégia diferente, considerando o mercado de computação móvel como um todo — e levando em conta, portanto, toda a gama de tablets e notebooks disponível.

A Apple é a líder costumeira do segmento, e a situação não mudou no segundo trimestre de 2019. Ainda assim, é bom a Maçã ficar de olho: a Lenovo está crescendo rapidamente e, se mantiver o ritmo atual, poderá ultrapassar a gigante de Cupertino num futuro bem próximo.

Entre iPads e MacBooks, a Apple vendeu 14,6 milhões de dispositivos no segundo trimestre deste ano — uma queda de 3% em relação aos 15 milhões de aparelhos despachados no mesmo período do ano passado. A Lenovo, por sua vez, viu um salto considerável, de quase 20%: dos 11,9 milhões de dispositivos vendidos no segundo período de 2018, a empresa pulou para 14,1 milhões de notebooks e tablets em 2019, colando de vez da Maçã.

Segundo a Strategy Analytics, a Apple conseguiu manter sua posição de liderança principalmente por conta do iPad e das novidades trazidas pela nova linha de tablets (e, claro, pelo iPadOS 13). A Lenovo, por sua vez, surfou no ciclo de atualização do Windows (isto é, um período no qual mais consumidores trocam suas máquinas) e se beneficiou de um catálogo com muitas opções, das mais simples às mais avançadas.

Seguindo as líderes, temos a presença da HP, da Dell e da Samsung no levantamento, todas com números entre 5 e 10 milhões de dispositivos vendidos — e sem grandes mudanças na comparação ano a ano.

via Apple World Today

Chip U1 dos novos iPhones poderá ser útil para um monte de coisas além das “Apple Tags”

Para um chip que (ainda) não tem quase nenhuma divulgação por parte da Apple, o U1, presente nos novos iPhones, já tem sua funcionalidade muito bem destrinchada. Sabemos que ele é um chip de reconhecimento espacial apurado, que utiliza a tecnologia de banda ultralarga (UWB) para localizar outros dispositivos dotados da mesma capacidade com enorme precisão — em alguns casos, de até 5 milímetros!

Sabemos, também, que o U1 só tem um uso no mundo real até o momento: proporcionar uma experiência muito mais rica na tela de compartilhamento do AirDrop nos novos iPhones (a interface mostra os outros aparelhos próximos de você e é capaz até de reconhecer aqueles que estão apontados para o seu smartphone), e isso só quando o iOS 13.1 sair no próximo dia 30.

Acima de tudo, sabemos que o U1 tem uma razão principal de existir: as prováveis “Apple Tags”, pequenos rastreadores que poderão ser afixados a objetos comuns (como bolsas, carteiras, chaves ou bicicletas, por exemplo) e servirão como localizadores administráveis pelo seu iPhone ou iPad. Os dispositivos, por qualquer razão que seja, ainda não foram apresentados pela Apple, mas isso deverá acontecer em algum momento no futuro próximo.

O que nós não temos muita ideia, ainda, é que o chip U1 tem muitos outros usos potenciais — e pode, inclusive, desencadear uma nova era na área da localização digital.

Em um artigo para o Six Colors, o entusiasta da Apple Jason Snell trouxe alguns outros exemplos de cenários onde o UWB pode ser essencial num futuro próximo. Uma delas é a área da automação doméstica: com a localização aprimorada do chip U1, os dispositivos e eletrodomésticos inteligentes poderão ter uma ideia muito melhor de onde você está dentro da sua casa, ajustando seu funcionamento de acordo com essas informações.

Um sistema de áudio, por exemplo, poderá “lhe acompanhar” pelos cômodos, desligando certos alto-falantes e ligando outros conforme você se move pela casa. Uma fechadura inteligente, por sua vez, poderá se certificar de que você está de fato em frente à sua porta para destrancá-la, travando-a novamente assim que você entrar em casa e se afastar dela.

Aqui, aliás, é bom fazer um adendo para tratar do Bluetooth Low-Energy: o protocolo já é usado hoje em dia para realizar muitas das ações descritas neste artigo, mas a emissão de banda ultralarga é muito mais apropriada para esses processos. Além de ser mais eficiente (um chip UWB usa um terço da energia de um com Bluetooth LE), a nova tecnologia é muito mais segura exatamente por ser mais precisa: enquanto o Bluetooth mede distâncias pela força do sinal, um método não muito seguro e facilmente adulterável, o UWB o faz medindo o tempo exato de ida e volta das ondas — o que o torna muito mais confiável e exato.

Com isso, outras aplicações tornam-se mais plausíveis. Fabricantes de carros, por exemplo, abandonaram o Bluetooth LE por preocupações relacionadas à sua segurança; com a popularização do UWB, elas poderão voltar a fazer chaves que destravem os veículos com aproximação (ou produzam aplicativos para smartphones que reproduzam o mesmo efeito, por exemplo).

O UWB também poderá, potencialmente, ajudar a ação de aplicativos de realidade aumentada e de navegação interna — permitindo, por exemplo, que você consiga ter instruções de navegação visual num shopping center da mesma forma que o Google Maps já lhe orienta nas ruas de uma cidade, por exemplo.

O artigo de Snell lembra que todos esses cenários só serão possíveis caso a tecnologia se popularize. Os novos iPhones são os primeiros dispositivos a adotá-la (o que por si só já é um ótimo trampolim, vale lembrar), mas várias outras empresas, como o Google e a Samsung, estão envolvidas com grupos de desenvolvimento do UWB — ou seja, poderemos ver uma adoção rápida da técnica ao longo do ano que vem. Tomara!

via 9to5Mac

Pré-venda dos novos iPhones está superando com folga a dos modelos de 2018

Nosso amigo de sempre, Ming-Chi Kuo, está em todas: o analista dá palpite nas futuras versões de iPhones e, quando elas são lançadas, traz todas as suas estimativas de vendas e sucesso (ou fracasso) dos aparelhos. É o trabalho dele, afinal — e não poderia ser diferente com os novos smartphones da Maçã, que entraram em pré-venda na última sexta-feira e chegarão às prateleiras na próxima sexta em vários países.

Em nota enviada a investidores e obtida pelo MacRumors, Kuo estimou que o iPhone 11 representa 45% dos pedidos de pré-venda dos novos smartphones da Maçã. Os modelos mais caros da linha (11 Pro e 11 Pro Max) representam os 55% restantes, mas não há informações do analista sobre a divisão interna de popularidade entre eles.

A notícia não chega a ser uma surpresa, já que o iPhone 11, com seu preço (relativamente) mais baixo e boa lista de especificações, promete ser um queridinho do público — assim como o iPhone XR foi no ano passado. Ainda assim, Kuo lembrou que a popularidade dos modelos OLEDA Reuters trouxe algumas fontes: a plataforma chinesa Tmall (do Alibaba), por exemplo, registrou um aumento de 335% nas vendas iniciais do iPhone 11 em relação ao iPhone XR, no ano passado.

O ecommerce chinês JD.com, por sua vez, afirmou que a pré-venda dos novos modelos no site foi 480% maior que a dos seus antecessores no primeiro dia. Os iPhones mais populares por lá, até o momento, são o iPhone 11 Pro verde meia-noite e os iPhones 11 preto e roxo.

Duas firmas de análise — a Instinet (do banco japonês Nomura) e a Wedbush — corroboraram, por meio de conversas com pessoas na cadeia de fornecimento dos iPhones na China, a hipótese de que os novos modelos estão com demanda muito maior que no ano passado. Ou seja, os prospectos iniciais dos aparelhos são deveras positivos — vamos ver se eles mantêm o fôlego.

via 9to5Mac

Modo Escuro do Twitter ganha integração com o iOS 13; Snapchat e PCalc são atualizados

E cá estamos nós de novo com as atualizações recentes mais importantes da App Store! Vamos dar uma olhada nelas?

Twitter

A rede social do passarinho já tem um Modo Escuro para chamar de seu há algum tempo, mas agora, com a chegada iminente do iOS 13, está integrando a funcionalidade com o novo recurso global do sistema.


Ícone do app Twitter

Twitter

de Twitter, Inc.

Compatível com iPadsCompatível com iPhonesCompatível com Apple TV
Versão 7.59 (117.7 MB)
Requer o iOS 11.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Na nova versão do Twitter para iOS, os usuários podem ativar uma configuração que fará o aplicativo simplesmente seguir sua preferência visual do sistema. Para isso, toque no seu avatar e vá em Configurações e privacidade » Tela e som » Modo escuro; lá dentro, você poderá ativar (ou desativar) a opção “Usar preferência do dispositivo”.

Vale lembrar que o Twitter oferece dois tipos de Modo Escuro no iOS. Um deles é azul marinho, e o outro totalmente preto, pensado para telas OLED

Ícone do app Snapchat

Snapchat

de Snap, Inc.

Compatível com iPhones
Versão 10.66.1.0 (294.5 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Já a rede social do fantasminha, por sua vez, tenta recapturar a relevância de outrora após ser barbaramente copiada pelo Facebook. A mais recente novidade do Snapchat para iOS é um modo de câmera 3D, que captura uma “memória espacial” das suas fotos para construir um modelo em três dimensões daquilo visto na tela — e, com isso, criar um efeito 3D bem realista.

Com isso, você pode capturar, por exemplo, selfies 3D, simplesmente balançando seu dispositivo para ver a foto em outras perspectivas. Suas criações podem ser personalizadas, claro, com efeitos, lentes e filtros 3D, que também se modificam de acordo com o seu ângulo de visão.

Só tem um detalhe: para capturar fotos 3D, você precisa ter um iPhone X, XS, XS Max, 11, 11 Pro ou 11 Pro Max (o recurso deverá chegar a determinados aparelhos do Android em breve). Todos os smartphones (no iOS ou no Android), entretanto, podem visualizar e interagir com as imagens 3D normalmente.

PCalc


Ícone do app PCalc

PCalc

de TLA Systems Ltd.

Compatível com iPadsCompatível com iPhonesCompatível com Apple WatchesCompatível com o iMessage
Versão 3.9.1 (106.5 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior

R$ 37,90

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Por fim, a poderosa calculadora profissional para iOS ganhou suporte total ao iOS 13. Temos, portanto, integração com o Modo Escuro do sistema — você simplesmente escolhe quais dos 15 temas do PCalc atuarão como seu Modo Claro e Escuro, e o app alternará automaticamente entre eles de acordo com a preferência do sistema, com o pôr do sol ou com o brilho da sua tela.

Além disso, o aplicativo está agora integrado às novidades do app Atalhos, que ficou muito mais poderoso no iOS 13 e permite a configuração de ações automáticas. Com isso, os parâmetros são passados da Siri diretamente para o PCalc, tornando as operações muito mais rápidas e com menos passos — até mesmo a conversão de moedas ficou mais rápida, com taxas que são atualizadas independentemente em relação ao app principal.