Comercial “Saltar”, dos AirPods, vence premiação de profissionais criativos

Na publicidade recente da Apple, os dispositivos de áudio geralmente têm rendido os comerciais mais interessantes — basta lembrar do premiadíssimo “Welcome Home”, dirigido por Spike Jonze e estrelando FKA Twigs.

Agora, para manter a tradição, mais uma peça publicitária da Maçã foi laureada: o comercial dos AirPods “Bounce” (“Saltar”) recebeu dois Cubos de Ouro, prêmios máximos do ADC Annual Awards. A premiação, mantida pelo grupo One Club for Creativity, existe desde 1921 e é a mais antiga do mundo da publicidade.

Os Cubos de Ouro recebidos pelo comercial foram nas categorias de Vídeo Curto e Efeitos Especiais; a propaganda recebeu também o prêmio de Melhor Disciplina na produção de motion, filmes e jogos. Além disso, a Apple ganhou o prêmio de Cliente do Ano, enquanto a TBWAMedia Arts Lab, agência de publicidade da Maçã, levou para casa a distinção de Agência do Ano.

O CEO da One Club for Creativity, Kevin Swanepoel, elogiou o comercial da Maçã:

“Bounce” é um exemplo impressionante de um trabalho inovador e criativo. Trata-se do epítome da excelência na construção e inovação cinematográfica, que é a base pela qual nossos prêmios são julgados, e um comercial merecedor da honraria de “Melhor da Premiação”, como o melhor trabalho criativo do último ano.

A Maçã ganhou ainda mais um Cubo de Ouro: o de Motion Graphics pelo vídeo “Wonderful Tools”, exibido na keynote de setembro passado.

Parabéns aos envolvidos, portanto! 👏🏼

via Apple World Today

Nova beta do Adobe Premiere Pro ganha suporte à placa Afterburner do Mac Pro

A Adobe lançou, nesta semana, novas versões beta dos softwares da suíte Creative Cloud — incluindo o Premiere Pro (14.3.0), que ganhou suporte à placa aceleradora Afterburner, da Apple (apresentada junto ao novo Mac Pro e compatível somente com ele).

De acordo com a desenvolvedora, o app de edição de vídeo suporta, atualmente, apenas a aceleração de projetos em codec ProRes (4444 e 422) com a Afterburner. É importante destacar que, embora o Premiere Pro e o After Effects tenham sido atualizados recentemente com suporte nativo ao ProRES RAW, a aceleração desse codec pela Afterburner ainda não é suportada.

A Adobe também alerta que renderização Metal deve ser selecionada diretamente nos apps — nas versões beta mais recentes, isso já vem por padrão.

  • After Effects (beta): Arquivo » Configurações do projeto » Renderização e efeitos de vídeo » Mercury GPU Acceleration (Metal).
  • Codificador de mídia (beta): Preferências » Geral » Renderização de vídeo » Renderização » Aceleração de GPU do Mercury Playback Engine (Metal) — Recomendado
  • Premiere Pro (beta): Arquivo » Geral » Renderização » Aceleração de GPU do Mercury Playback Engine (Metal) Recomendado

Por fim, a empresa explica que não há como identificar a utilização da placa Afterburner, mas incentiva os donos do novo Mac Pro a compartilharem suas experiências com a renderização de codecs ProRes 4444 e 422 nas últimas betas.

Em março passado, a Apple passou a vender a Afterburner de forma avulsa; no Brasil, a placa aceleradora está disponível pela bagatela de R$20.000.

via MacRumors

Promoções do dia na App Store: Leo’s Fortune, Swim Out, Rearview e mais!

Aproveite a nossa tradicional seleção de promoções nas App Stores nesta quinta-feira!

Leo’s Fortune é um excelente jogo de aventura criado pelo pessoal da 1337 & Senri LLC.

Você é Leopoldo (Leo, se preferir) e a sua missão é encontrar o misterioso ladrão que roubou todo o seu ouro. Os gráficos contam com um nível altíssimo de detalhes e a parte sonora (trilha, narração e efeitos) é de elevada qualidade. No quesito controles, gestos na tela são responsáveis por seus movimentos.


Leo’s Fortune

de 1337 & Senri LLC

Versão 1.0.8 (150.6 MB)
Requer o iOS 10.3 ou superior

R$ 3,90 R$ 18.90

Código QR


Nota na App Store

Minha nota

Leo’s Fortune conta com um total de 24 fases divididas em 5 atos, com níveis de dificuldade crescente. Traduzido para o português, com suporte ao Game Center e ao iCloud, foi um dos jogos destaques de 2014 na App Store e a nossa escolha de hoje.

·   •   ·

Abaixo outros aplicativos/jogos que, juntos, somam quase R$30 de desconto:

Apps para iOS


Swim Out

de Lozange Lab

Versão 1.4.0 (191.8 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior

R$ 3,90 R$ 10.90

Código QR

Puzzles excelentes.


Voice Dream Scanner

de Voice Dream LLC

Versão 1.3.4 (81.3 MB)
Requer o iOS 11.3 ou superior

R$ 14,90 R$ 22.90

Código QR

Scanner.


CITY REAL ESTATE TYCOON

de Xuan Su

Versão 1.19 (139.3 MB)
Requer o iOS 9.0 ou superior

Grátis R$ 3.90

Código QR

Jogo de estratégia.

App para macOS


Rearview – handy mirror camera

de Aleksander Popko

Versão 2.2 (35.7 MB)
Requer o macOS 10.13 ou superior

R$ 7,90 R$ 18.90

Código QR

Um “retrovisor” para o seu Mac.

·   •   ·

Aproveitem as ofertas e até amanhã! Ah, lembrando que elas são sempre por tempo limitado, então é bom correr! E, se puder, fique em casa. 🏡

Twitter testa forma de limitar quem pode responder às suas postagens; Instagram ganha integração com o Messenger Rooms

E cá estamos nós de novo com as atualizações recentes mais importantes da App Store! Vamos a elas?

Twitter


Twitter

de Twitter, Inc.

Versão 8.19 (127.4 MB)
Requer o iOS 11.0 ou superior

Grátis

Código QR

A rede social do passarinho ainda não atualizou propriamente seu aplicativo, mas está testando uma mudança relativamente significativa na plataforma: uma ferramenta para que usuários selecionem exatamente quem pode responder aos seus tweets.

Testando, testando… Uma nova forma de conversar somente com quem você quiser. Nós estamos iniciando os testes com uma pequena porcentagem global, então fique de 👀 para ver a ferramenta em ação.

A novidade funciona (ou funcionará) da seguinte forma: após escrever o seu tweet, basta clicar/tocar na opção “Todos podem responder” e ajustar essa preferência da forma que você quiser. É possível permitir que sua postagem seja respondida por qualquer conta no Twitter, somente pelas pessoas que você segue ou somente pelos perfis especificamente marcados no seu tweet.

A ideia do Twitter é diminuir a frequência de conversas tóxicas e o bullying digital, mas a ferramenta trouxe polêmica: usuários apontaram que, sem um espaço aberto de respostas, um tweet contendo notícias falsas ou outros tipos de desinformação podem circular por muito mais tempo sem que outros usuários possam contestá-lo ou apontar suas inconsistências.

De qualquer forma, a coisa parece estar seguindo em frente: uma parcela dos usuários do Twitter já receberam acesso à ferramenta, e (caso a rede não mude de ideia) ela deverá ser efetivada para toda a plataforma nas próximas semanas. O que vocês acharam?

Instagram


Instagram

de Instagram, Inc.

Versão 142.0 (134.3 MB)
Requer o iOS 11.0 ou superior

Grátis

Código QR

Enquanto isso, a rede social de fotos e vídeos adicionou suporte ao Messenger Rooms — ferramenta do Facebook que, como já tratamos por aqui, permite que até 50 pessoas participem de uma videochamada ao mesmo tempo.

Uma forma fácil de fazer videochamadas com até 50 das suas pessoas favoritas? Sim, por favor! A partir de hoje, você pode criar @messenger Rooms no Instagram e convidar qualquer pessoa para participar.

A integração com o Instagram, como mostra o vídeo acima, é quase totalmente nativa: basta tocar no ícone de filmadora na sua tela do Direct, selecionar a opção “Criar Messenger Room” e selecionar seus contatos. Em seguida, o app informa que abrirá o Facebook Messenger para iniciar a chamada — e pronto, seus amigos já receberão a notificação convidando para entrar na conversa.

Facebook Messenger


Messenger

de Facebook, Inc.

Versão 264.0 (73.3 MB)
Requer o iOS 9.0 ou superior

Grátis

Código QR

Screenshot do app MessengerScreenshot do app MessengerScreenshot do app MessengerScreenshot do app MessengerScreenshot do app MessengerScreenshot do app MessengerScreenshot do app MessengerScreenshot do app Messenger

Falando em Messenger, o próprio também está para ganhar uma boa novidade no sentido de proteger os seus usuários. De acordo com o Engadget, o mensageiro emitirá um alerta sempre que você receber uma mensagem suspeita de um contato desconhecido ou de alguém tentando se passar por algum amigo/familiar seu.

Por exemplo, o mensageiro detectará automaticamente mensagens de spam ou com ofertas suspeitas vindas de contas desconhecidas — e as exibirá ao usuário junto com um alerta de que aquilo pode representar um golpe. Da mesma forma, a rede perceberá quando a pessoa do outro lado estiver tentando se passar por um contato conhecido (mudando o nome do perfil, por exemplo) e lhe alertará sobre isso.

Usuários do Messenger menores de 18 anos, inclusive, serão alertados ao receber qualquer mensagem de um contato desconhecido. O Facebook afirma que não analisará as mensagens em si para detectar esses sinais suspeitos, e sim metadados e outros traços de informação nos perfis.

Google Chrome


Google Chrome

de Google LLC

Versão 83.0.4103.63 (91.4 MB)
Requer o iOS 12.0 ou superior

Grátis

Código QR

O Chrome chegou à versão 83 também no iOS, mas as mudanças são diferentes daquelas levadas para a sua contraparte no desktop. Aqui, temos agora um novo visual para as solicitações e mensagens do navegador, bem como uma ferramenta para checar as suas cinco últimas pesquisas ao tocar na barra de endereço.

Além disso, no iPhone, agora é possível ajustar o texto de uma página na internet para um tamanho confortável — basta acessar a opção “Zoom do texto”, no menu de configurações do navegador.

Google Podcasts


Google Podcasts

de Google LLC

Versão 2.0 (52.8 MB)
Requer o iOS 12.0 ou superior

Grátis

Código QR

Por fim, o aplicativo de podcasts do Google — lançado para iOS em março último — ganhou suporte ao CarPlay. Com isso, você pode explorar seus programas de áudio favoritos diretamente pelo sistema de entretenimento do carro, com interface adaptada e ícones de fácil acesso.

Apple atualizará app Projeto Escolar com foco no ensino à distância

Talvez você não seja familiar ao aplicativo Projeto Escolar (Schoolwork) da Apple — seja por não estar em idade escolar ou porque, bom, escolas que dão iPads a todos os seus alunos fazem parte de uma realidade muito particular aqui no Brasil.

De qualquer forma, a ideia da Maçã é ótima: fornecer uma ferramenta que fortaleça a conexão entre professores e alunos, permitindo que tarefas sejam distribuídas, consultas/colaborações sejam feitas e o progresso de cada estudante seja acompanhado de perto pelo docente.


Projeto escolar

de Apple

Versão 1.3.1 (21.5 MB)
Requer o iPadOS 12.0 ou superior

Grátis

Código QR

Pois agora, de acordo com a CNET, a Apple está prestes a atualizar o Projeto Escolar com sua maior renovação até o momento. A versão 2.0 do app, que já está em fase beta, é plenamente focada nas técnicas de ensino à distância — uma atitude condizente com o momento atual, em que basicamente o mundo inteiro cancelou atividades presenciais e muitas escolas resolveram levar o ano letivo adiante de forma remota.

Entre as novidades que a Apple incluirá no aplicativo, temos uma biblioteca de atividades completa onde os alunos poderão acessar suas tarefas de todas as matérias, salvar rascunhos ou marcar favoritos. Uma barra lateral exibirá cartões com lembretes para eventos, provas ou datas-limite para a entrega de tarefas e trabalhos.

Professores, por sua vez, poderão acompanhar o progresso dos alunos de forma mais ampliada: a plataforma mostrará quantos estudantes finalizaram as tarefas e quanto tempo levaram para isso, ajudando o docente a identificar se as aulas estão seguindo em bom ritmo e se algum aluno precisa de ajuda em particular. Caso isso seja necessário, o Projeto Escolar 2.0 permitirá que os professores enviem mensagens ou façam chamadas no FaceTime com estudantes individualmente, para tirar dúvidas ou oferecer conselhos de estudo.

Ainda segundo a CNET, a Apple atualizará também o aplicativo Sala de Aula (Classroom) — que, diferentemente do Projeto Escolar, é pensado para ajudar no ensino presencial, com professores e alunos no mesmo ambiente. A reportagem não detalhou possíveis novidades do update, mas o app será atualizado mais adiante, quando um número razoável de escolas estiver retornando às suas rotinas tradicionais.


Sala de Aula

de Apple

Versão 3.1.1 (20.6 MB)
Requer o iPadOS 12.2 ou superior

Grátis

Código QR

iPhones 11 produzidos no Brasil já estão no mercado

Há algumas semanas, quando esclarecemos a questão da produção do novo iPhone SE no Brasil, também informamos que o iPhone 11 (modelo A2221) passou a ser fabricado em território nacional recentemente — e que, por isso, a documentação do aparelho estava sendo revisada pela Agência Nacional de Telecomunicações.

De acordo com fontes do MacMagazine, a Foxconn Brasil Indústria e Comércio Ltda. (em Jundiaí, SP) passou a montar o iPhone 11 em fevereiro de 2020. E tais aparelhos já estão no mercado, como nos mostrou o leitor Igor Ribeiro.

Inscrição "Indústria Brasileira" na parte traseira do iPhone 11
📷 Igor Ribeiro

Ele adquiriu o aparelho recentemente e, como podemos ver, o dispositivo vem a inscrição “Indústria Brasileira” na sua parte traseira.

Além disso, temos também informações na caixa indicando que se trata mesmo de um modelo nacional, como podemos ver abaixo:

📷 Igor Ribeiro

Outro fator que confirma isso tudo é que, ao adicionar um iPhone 11 ao carrinho na Apple Online Store brasileira, o SKU1 do produto que vemos na URL termina com BR — confirmando ser um modelo nacional.

Clique/toque para ampliar

Outros iPhones vendidos no Brasil mas não fabricados em Jundiaí, como o 11 Pro, têm o SKU finalizado em BZ.

Por enquanto, o novo Certificado de Conformidade Técnica do iPhone 11 (com a unidade fabril brasileira da Foxconn listada) ainda não está disponível no sistema da Anatel, mas isso deverá acontecer muito em breve. Trata-se de uma mera formalidade, afinal a Foxconn já fabrica iPhones em Jundiaí há anos e o iPhone 11 em si foi homologado pela Anatel no ano passado.


iPhone 11

iPhone 11

de Apple

Preço à vista: a partir de R$ 4.499,10
Preço parcelado: em até 12x de R$ 416,58
Cores: branca, preta, verde, amarela, roxo e (PRODUCT)RED
Capacidades: 64 GB, 128 GB ou 256 GB
Lançamento: setembro de 2019

Aplicativo brasileiro, MusicSmart traz detalhes aprofundados sobre as canções do Apple Music

Se você quer um serviço de streaming simplesmente para dar play nas suas músicas favoritas e esquecer do mundo, o Apple Music é uma opção deveras competente. Caso você queira se aprofundar um pouco mais no aspecto informativo da coisa, por outro lado, o serviço da Maçã não é dos melhores — não há, por exemplo, uma ficha técnica detalhada das suas canções favoritas ou coisa do tipo disponível para os usuários.

É aqui que entra o MusicSmart: o aplicativo, do desenvolvedor brasileiro Marcos Tanaka, traz uma biblioteca completa de informações sobre todas as canções na sua biblioteca do Apple Music. Basta selecionar a música sobre a qual você quer obter mais detalhes, tocar na opção “Compartilhar”, selecionar o MusicSmart e se esbaldar nos dados, como se você estivesse lendo o encarte do seu disco favorito.


MusicSmart

de Marcos Antonio Tanaka

Versão 1.0.1 (9.4 MB)
Requer o iOS 13.4 ou superior

R$ 7,90

Código QR

O aplicativo traz uma ficha técnica completa das canções, capturada de várias fontes disponíveis na internet: temos data de lançamento, gênero, compositores, engenheiros de som, produtores, instrumentistas, vocais e vários outros dados de ficha técnica. O MusicSmart traz também a capa do álbum selecionado em alta resolução, informações sobre gravadoras e notas editoriais do Apple Music, além de listar clipes, performances ao vivo, covers e remixes da canção, bem como outras músicas que a usam como sample.

Além da extensão para o menu de compartilhamento do iOS, você pode também abrir o MusicSmart e conferir, diretamente nele, todas as músicas salvas na sua biblioteca do Apple Music. Obviamente, o app não trará todas as informações para qualquer música que você pesquisar — a tendência é que, quanto mais popular a canção, maior a quantidade de informação disponível sobre ela nas fontes do aplicativo; de qualquer forma, já estamos falando de um nível de dados muito maior do que o oferecido nativamente pelo Apple Music.

O MusicSmart está disponível na App Store por R$8. Para os entusiastas do mundo da música, sugiro dar uma olhada.

via MacStories