Terceirizados da Apple ouviam até 1.000 gravações da Siri por turno

Imagem: https://allthings.how/fix-hey-siri-not-working-on-iphone-xs-and-xs-max/

” data-medium-file=”https://zazo.com.br/wp-content/uploads/2019/08/23-Siri-iPhone-X-600×400.jpg” data-large-file=”https://macmagazine.uol.com.br/wp-content/uploads/2019/08/23-Siri-iPhone-X-1260×840.jpg”>

Em julho passado, informamos que a Apple mantinha um programa de análise de conversas de usuários coletadas através da sua assistente virtual, a Siri. Isso, é claro, gerou um problema daqueles para a Maçã — e para gigantes da tecnologias que faziam a mesmíssima coisa, como a Microsoft e o Facebook.

Para manter sua postura fidedigna à privacidade dos usuários (e após alguns processos), a Apple veio a público confirmando a suspensão do programa, o que fez com que milhares de funcionários terceirizados (que estavam na função de analisar as conversas com a Siri) foram dispensados. Ainda assim, resta a dúvida: o que era feito, afinal?

O Irish Examiner conversou com alguns dos funcionários da Globetech, empresa irlandesa em Cork, que foram dispensados após a polêmica para investigar o que acontecia nesses lugares. De acordo com a reportagem, os terceirizados deveriam ouvir cerca de 1.000 clipes de gravações da Siri por turno, a maioria delas de apenas alguns segundos.

Ainda de acordo com a publicação, os funcionários eram contratados. temporariamente como “analista de dados” da Globetech. Mais especificamente, essas pessoas tinham a função de transcrever as gravações e classificar as respostas da Siri de acordo com vários critérios, incluindo se a assistente virtual fora sido inchada “acidentalmente”.

Elas [as gravações] tinham cerca de alguns segundos de duração”, disse um ex-funcionário, que não pode ser identificado porque estava sob um acordo de confidencialidade. “Ocasionalmente ouvíamos dados pessoais ou trechos de conversas, mas principalmente eram comandos para a Siri”.

Segundo outro funcionário, que também se manteve anônimo, os motivos para a Apple manter um programa desse tipo são “compreensíveis”, mas que ele(a) entende a preocupação dos usuários quanto às gravações e o uso desse tipo de informação, ainda que coletado anonimamente.

Um porta-voz da Maçã também comentou os mais de 300 empregos temporários que foram encerrados, após a suspensão do programa:

Acreditamos que todos devem ser tratados com a dignidade e respeito que merecem, isso inclui nossos próprios funcionários e fornecedores com quem trabalhamos na Irlanda e em todo o mundo. Estamos trabalhando de perto com nossos parceiros para garantir o melhor resultado possível para nossos fornecedores, seus funcionários e clientes em todo o mundo.

Além de encerrar (temporariamente ou não) o programa de análise, a Apple afirmou que em uma futura atualização de software, os usuários poderão optar por não ter suas gravações usadas para a análise de dados da Siri. Vamos torcer para que a Maçã resolva isso o quanto antes.

via 9to5Mac

Recommended Posts