TikTok pode se separar da ByteDance para evitar pressão política

As acusações sobre a suposta falta de segurança podem prejudicar o crescimento do TikTok ao redor do mundo. Este é o argumento de alguns investidores que discutem a possibilidade de separar a rede social de sua proprietária, a chinesa ByteDance. Segundo o The Information, o grupo cogita comprar parte do serviço para se tornar sócio majoritário e decidir como lidar com pressões externas.

O Axios afirma as conversas ainda são embrionárias, mas decisões de governos de países como Estados Unidos e Índia podem acelerar o processo. Um dos entraves, porém, é como financiar uma transação deste tamanho. A Bytedance teve receita equivalente a US$ 5,64 bilhões no primeiro trimestre de 2020 e é avaliada entre US$ 95 bilhões e US$ 140 bilhões, de acordo com a Reuters.

Com um possível acordo, a ByteDance se tornaria sócia minoritária e suas ações não garantiriam direito a voto. A empresa continuaria com o comando do agregador de notícias Toutiao e a versão do TikTok exclusiva para China, chamada de Douyin. Apesar da tentativa de reduzir a pressão política, não está claro se a negociação resolveria todos os problemas.

Isso porque quem tem as conversas mais avançadas são as empresas de venture capital americanas Sequoia Capital e General Atlantic. A Sequoia tem sede na Califórnia, mas possui uma filial na China. Segundo o Ars Technica, elas discutem com o Departamento do Tesouro dos EUA e outros reguladores se a separação do TikTok acabaria com as preocupações do governo americano.

A rede social é apontada pelo presidente dos EUA, Donald Trump, como um risco à segurança nacional sob a alegação de que ela serve de ferramenta de vigilância do governo chinês. O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, revelou que o país considera banir a plataforma, assim como fez com as chinesas Huawei e ZTE.

Os EUA proíbem funcionários públicos federais de usarem o TikTok em seus celulares. A recomendação também foi feita para a equipe do Departamento de Defesa dos EUA e pela Amazon. A empresa, porém, recuou do pedido e afirmou que o comunicado foi enviado por engano. O serviço também foi banido pelo governo da Índia junto com outros aplicativos chineses.

Sobre os rumores de uma possível venda, o TikTok afirmou que muitas pessoas falam sobre seus planos sem ter acesso às discussões internas. “Não comentamos rumores ou especulações. Estamos muito confiantes no sucesso a longo prazo do TikTok e tornaremos nossos planos públicos quanto tivermos algo a anunciar”, disse a empresa, ao Ars Technica.

TikTok pode se separar da ByteDance para evitar pressão política

Recommended Posts