Warcraft III e sua influência em jogos como League of Legends e DotA 2

Warcraft III, lançado em 2002, não apenas foi o primeiro jogo da série de estratégia em tempo real (RTS) da Blizzard a ser todo renderizado em 3D, mas também criou a base para um dos gêneros que mais cresce na indústria de jogos, e gera milhões em receita e audiência: o MOBA, ou Multiplayer Online Battle Arena. A versão revitalizada, Warcraft III: Reforged, promete manter a nostalgia do game original e atrair novos jogadores.

Um editor de mapas e uma comunidade engajada

Tudo começou com um bem elaborado editor de mapas e uma enorme comunidade de jogadores, aliada a um serviço online simples de usar. O editor de mapas de Warcraft III (ou Editor de Mundos) não é novidade deste terceiro título, ele já existia em Warcraft II e StarCraft.

O recurso permitia que jogadores criassem seus próprios mods de cenários jogáveis. A diferença do Editor de Mundos, em W III, é que ele expandiu essa customização para quase todo aspecto do jogo e sem a necessidade de saber programar ou mesmo ter noção de game design.

A popularidade desses mods só aumentou com o auxílio da Battle.net. Os mapas criados eram compartilhados com outros jogadores por meio da rede online própria da Blizzard. A empresa continuou a aprimorar a ferramenta, com ainda mais variedade de recursos, para tornar o Editor de Mundos ainda mais versátil e intuitivo de usar.

Alguns dos cenários customizados fizeram tanto sucesso que viraram torneios, tanto na BlizzCon quanto ao redor do mundo. O mais famoso desses mapas, Defense of the Ancients (DotA), é reconhecido na indústria dos games como uma das maiores influências do gênero MOBA.

Em jogos deste estilo – popularizados com títulos como DotA 2 (praticamente uma continuação do mod Defense of the Ancients), League of Legends e Heroes of the Storm (da própria Blizzard) – o jogador assume o controle de um personagem de um time e deve derrotar, com a ajuda da sua equipe, o outro destruindo as estruturas principais do adversário. As partidas são disputadas num mapa de perspectiva isométrica (com a câmera “sobrevoando” o cenário).

Warcraft III: Reforged reimagina clássico de quase 20 anos

Com toda a tendência de remasters e remakes de jogos ultimamente (para o bem ou para o mal), a Blizzard também embarcou nessa com Warcraft III: Reforged que, como o próprio nome diz, reforja o clássico RTS de 2002 para os dias atuais.

O game revitalizado, revelado na BlizzCon 2018, chega finalmente em 28 de janeiro de 2020. Dada a evolução gráfica e de mecânicas que Reforged recebeu, em relação ao jogo de origem, pode-se dizer que este é um remake mesmo ao reconstruir completamente Reign of Chaos e a expansão The Frozen Throne.

O Editor de Mundos está de volta, além de vários recursos sociais e de pareamento online de partidas – via Battle.net. Warcraft III: Reforged traz mais de 60 missões no modo campanha, já existentes no primeiro game, com o bônus de mais de quatro horas de cinemáticas e narrações atualizadas.

Para J. Allen Brack, presidente da Blizzard Entertainment, “o Warcraft III é de uma importância monumental para a Blizzard. A influência dele é evidente em tudo o que desenvolvemos depois”. E acrescenta: “um projeto como o Warcraft III: Reforged não pode ser desenvolvido sem a devida atenção, porque ele tem um legado a respeitar, mas, além disso, porque nós sabemos o que o jogo significa para os jogadores.”

Warcraft III: Reforged pode ser comprado pela Battle.net em duas edições: Padrão (R$ 79,00) e Spoils of War (R$ 159,00).

Warcraft III e sua influência em jogos como League of Legends e DotA 2

Recommended Posts